Hands-on: smartphone LG G8s ThinQ

Hands-on: smartphone LG G8s ThinQ

O LG G8 ThinQ foi anunciado em fevereiro no Mobile World Congress de Barcelona. Sua versão levemente modificada – o G8s ThinQ chegou por aqui no final de julho.

E, sendo muito honesto, por ser um LG é um aparelho bom.

LG G8s ThinQ

Eu, particularmente, acredito que a LG tem muitos poréns no mercado mobile. Seus smartphones tendem a ter preços acima do valor oferecido no lançamento (linha K, estou falando de você), a experiência de usuário parece estar presa em um passado distante do Android e a fabricante compensa algumas falhas inventando moda – como os gestos no ar e o desbloqueio de tela usando a palma (!) da mão.

É a velha máxima do mercado, que alguém um dia disse: empresas como a LG e a Sony mantém suas linhas de smartphones por puro ego de executivo (famoso “vamos continuar a dizer que somos grandes e temos nossos telefones”) do que por desempenho em vendas. A Sony, pelo menos, já se resignou a um mercado restrito.

Dito isso, o LG G8s ThinQ é um smartphone OK. É bonito, mantém recursos que os concorrentes já eliminaram faz um tempo (como os conectores para fone de ouvido), não faz feio com as fotos e tem uma bateria decente. Foi lançado pelo preço sugerido de R$ 4.299, mas já é possível encontrar no varejo por valores menores – e está numa fase esquisita em que as promoções do Samsung Galaxy S10 podem chegar a preços ainda menores que isso (e é uma escolha bem melhor).

Por dentro, o LG G8s ThinQ traz um processador Qualcomm Snapdragon 855, 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento (expansível com cartões microSD). A tela OLED é muito boa (com 6,2″, porém resolução FullHD+).

A construção do G8s é interessante. A LG tornou o aparelho resistente a entrada de água e pó (norma IP68) e tem certificação militar pela norma MIL-STD 810G. Não deixei cair o telefone no chão, mas isso dá um pouco mais de segurança que ele não deve se espatifar em dois segundos de distração. De qualquer modo, vem uma capinha de plástico na caixa para aumentar a proteção (daquelas de TPU, que ficam amarelas com o tempo).

E a capinha é mais que necessária, já que o acabamento traseiro espelhado dá um efeito lindo, mas junta marca de dedos de uma maneira ímpar (lembrei da moda do passado com acabamento “Black Piano”) .

Do lado esquerdo do aparelho, temos o controle de volume e um botão dedicado para o Google Assistente (útil, mas desnecessário porque o Google Assistente funciona com ativação por voz)…

…E do direito, a gaveta de SIM card/microSD e o botão de liga/desliga. Pessoalmente, acho que esse botão fica localizado muito alto na lateral do aparelho, tornando o acesso um pouco mais difícil com uma mão só.

Embaixo, o conector do fone 3,5 mm e o plug USB-C.

Como um bom smartphone de 2019, o G8s tem um notch/testa/entalhe no topo da tela. Aqui ele é justificado pela câmera de selfie e por um sensor Time of Flight (ToF) frontal, que aumenta a segurança no reconhecimento facial e permite usar o G8s com gestos.

E ao inventar isso dos gestos no ar (para capturar telas ou navegar pelo aparelho), a LG falhou. Não funciona direito, a curva de aprendizado é difícil. Além disso, com o reconhecimento facial para desbloquear a tela (e rápido) usando o sensor ToF (que aumenta a segurança) e um sensor de digitais na traseira, o fato de o G8s ThinQ ter desbloqueio por veias não faz o menor sentido (usando também o mesmo sensor ToF).

Usar as veias, sem dúvida, aumenta a segurança. Mas usando o G8s no dia a dia, você precisa tirar o smartphone do bolso, acertar a posição da mão na frente da tela, desbloquear perdendo alguns segundos – e basta tocar o sensor traseiro ou olhar pra tela.

LG G8s: Software

A LG não experimenta muito em software, e isso é bom. A interface é simples, o menu de configurações me parece o mesmo de alguns anos atrás (dividido em abas) e tem os truques de interface que já falei acima e não agradam/não são fáceis de usar.

Algo EXCELENTE: o som

A LG é solitária – infelizmente – ao se dedicar muito à qualidade de som nos seus smartphones topo de linha. O G8s é o smartphone que um audiófilo precisa ter. Tem DTS X 3D Surround, os fones que vêm na caixa têm graves envolventes e um som “cheio” (ouvi meu favorito de testes nele, o “You’re Dead” do Flying Lotus, e fiquei impressionado).

As câmeras

A LG seguiu o básico sem muita frescura: três lentes: uma f/1.8 “normal” de 12 megapixels, a grande angular (f/2.4) de 13 megapixels e uma tele de 2x (f/2.6) também de 12 megapixels. Não tem o desempenho incrível de concorrentes premium (como Galaxy S10+ ou P30 Pro), mas é melhor que 99% das câmeras da série LG K 2019. Então, isso é bom.

Gostei dos macros, o desempenho noturno é bom, o desfoque do fundo nas selfies é excelente, para uma câmera do dia-a-dia está ótimo.

Tchis?? Él DJI??

Amostras de imagens

Vale a compra?

Pelo preço cheio sugerido, não. O valor de R$ 4.299 é alto demais e você encontra o G8s por valores menores. Se estiver realmente sem opções mais legais (S10, P30 Pro, Note 10) na faixa de preço e estiver abaixo da faixa de R$ 3.000, eu me arriscaria.

[LG]
Escrito por
Henrique Martin