Moto G fragmentado | Twitter, 15 | ainda NFT
Início » NEWSLETTER » Moto G fragmentado | Twitter, 15 | ainda NFT

Moto G fragmentado | Twitter, 15 | ainda NFT

RESUMO

Edição enviada em 26 de março de 2021 aos assinantes da INTERFACES NEWSLETTER.

Oi, tudo bem? Esta é a edição 100 da Interfaces.

Estamos desde 2019 toda semana enviando a newsletter com o melhor da tecnologia. Não somos muito de falar de números, mas 100 é um marco importante. Seguimos gente nas redes, falamos com o mercado de tecnologia quase todo dia, temos informações e curadoria aqui no e-mail e no site.

E como você, leitor, pode ajudar a Interfaces? Simples: grandes empresas de tecnologia que nos leem religiosamente, anunciem (só responder e mandamos o media kit). As pequenas e médias também, temos o incrível relatório Techtubers à venda. Sigam a gente no Twitter, comprem na Amazon com nossos links, indiquem a Interfaces para os amigos. Temos um monte de coisas legais para fazer em 2021, e queremos contar com vocês – e queremos nossos leitores sempre por perto. – Henrique e Samir.

ELETRÔNICOS DE CONSUMO

10 VEZES MOTO G

O Moto G surgiu em 2013 com a ideia de ser um smartphone com bons recursos e preço decente – o que fez a Motorola decolar em vendas no mundo todo (e conseguir o segundo lugar no Brasil). A décima geração chegou tripla ao Brasil: Moto G10, G30, G100 (leia o review do Henrique), com uma Motorola bem diferente daquela que pertencia ao Google em 2013. 

O hardware continua atraente, as câmeras também, mas as atualizações de sistema e de segurança agora não são prioridade – principalmente para o modelo de entrada – e com apenas R$ 200 de diferença entre G10 e G30, o último deve ser uma escolha melhor para o consumidor, com especificações técnicas um pouco mais avançado. Esperamos que a nova nomenclatura (10/30/100) ajude a entender melhor a linha, que era algo como G9, G9 Power, G9 Plus, G9 Play – mais fácil de confundir o comprador, impossível.

Já o Moto G100 é o smartphone após um banho de loja: processador Qualcomm quase topo de linha, 12 GB de RAM, câmera quádrupla de 64 megapixels e um design lindo e desafiador: é roxo ou azul? Depende da luz e do ângulo. 

A Motorola lançou também (e com grande entusiasmo) o recurso Ready For, para ligar o telefone a uma tela por HDMI e usar como se fosse um computador. É legal, mas ou você ensina o consumidor que aquilo existe ou ele vai ignorar (Samsung sabe bem disso com o modo DeX). 

Ah sim, G30 e G100 são os primeiros smartphones com perfume do mercado – criado pela Motorola com uma indústria química. De novo, legal, mas não é decisor de venda. Falta um ecossistema em volta – fones, tablets, relógios – que a concorrência vem explorando e integrando cada vez mais aos seus smartphones – a Motorola diz que estuda de perto esse mercado. 

E na editoria notícias inesperadas e boas, os novos Moto G (e futuros aparelhos com Android 11) vêm com opção de idioma duas línguas indígenas brasileiras em extinção (Kaingang e Nheengat).

MOTO G100
Moto G100: mais câmeras e agora com um cheirinho para o consumidor (Henrique Martin/Interfaces)

USE A TECNOLOGIA

Em 2021, 3 milhões de dispositivos “vestíveis” (fones sem fio, relógios e pulseiras espertas) serão vendidos no Brasil, de acordo com previsão do IDC.

FÁBRICA DE RUMORES

A próxima geração de alto-falantes inteligentes Homepod da Apple terá tela e câmera integradas. Aquilo que Google Nests e Amazon Echos da vida já fazem há um bom tempo e que se mostrou algo sólido para o mercado de dispositivos domésticos.

E a Bloomberg diz que a Apple prepara um Apple Watch com carcaça reforçada e emborrachada para atletas radicais e aventureiros em geral.

DUAS DÉCADAS

O Mac OS X completou 20 anos – para um sistema operacional que nasceu criticado e questionado se teria futuro, está aí uma boa resposta. Quem usava OS 9 (ou 8…7…), parabéns, estamos juntos no grupo de risco 😉

PERGUNTANDO PARA UM AMIGO

Mas alguma empresa paga mesmo as multas do Procon? É obrigatório ou o jurídico manda ignorar e tudo bem?

A Apple recebeu uma multa de R$ 10,5 milhões pela ausência de carregadores nos iPhone 12, entre outros problemas. Se você sabe essa resposta, fala para a gente. Não vamos contar por aí. 

VARRE VARRE LASERZINHO

A Dyson, fabricante de objetos de desejo caros inexistentes no Brasil, lançou um aspirador topo de linha (isso que é nicho), o V15 Detect, que usa um sistema de detecção de sujeira a laser – sim, ele “acende” a sujeira. Na prática, é um aspirador para você criar vergonha na cara e limpar direito esse chão imundo, por US$ 699.

Não, não é uma arma futurista de Fortnite ou Valorant, é um aspirador (Dyson/Divulgação)

GRANDES NOMES

Segue a tendência de marcas de smartphones se associarem a grandes figurões do mundo da fotografia: a OnePlus lançou esta semana o OnePlus 9 Pro em parceria com a Hasselblad.

NOCAUTE

A LG pelo visto não encontrou um comprador para sua área de smartphones e deve mesmo fechar as portas dessa unidade de negócios.

Vale lembrar que a LG foi responsável por muito produto questionável no mundo dos smartphones (como o G5 modular, uma ideia 100% errada), mas coisas bem legais como o G Flex (que dobrava e se recuperava de riscos simples na carcaça) e os primeiros aparelhos Nexus feitos com o Google vendidos no Brasil.

NOVO GÁS

Pat Gelsinger, novo CEO da Intel, anunciou um monte de coisas esta semana – da volta do Intel Developer Forum a uma expansão nas fábricas da companhia nos EUA, que também vai passar a produzir processadores para outras companhias.

Diz o Engadget que “uma Intel forte é o que o mercado de tecnologia precisa agora”. Amém.

SEM SMARTPHONE? SEM PROBLEMA

A Huawei segue como empresa de acessórios e outras coisas tecnológicas – e pretende lançar computadores no Brasil em algum momento de 2021.

HOMENAGEM

Alan Turing, um dos cientistas mais injustiçados da história por ser gay, recebeu uma homenagem justa do Bank of England ao estampar a nova nota de 50 libras, cheia de mensagens surpresa escondidas.

Dividindo a nota com a rainha Elizabeth II, Turing, o cientista gay e perseguido (Bank of England/Divulgação)

ACHADOS AMAZON DA SEMANA

CULTURA DIGITAL

DEBUTANTE

O Twitter completou 15 anos além de uma simples rede de mensagens de 280 caracteres – tem os Fleets (stories), Spaces (salas de voz), newsletter (adquiriram recentemente) e uma eterna tendência de não combater a propagação de mentiras e o assédio direcionado (Chrissy Teigen que o diga).

Pelo menos é mais divertida e tolerável (e informativa, na medida do possível) que o Facebook. 

E temos que louvar a cara de pau de Jack Dorsey, que tuitou durante a audiência sobre desinformação no congresso americano esta semana. 

UTILIDADE GERAL

O site que responde a pergunta da semana: o navio ainda está encalhado?

NOVATO

Flow, desenvolvido no Reino Unido, é o primeiro novo navegador em anos a não usar como base códigos do Chromium (do Chrome) ou WebKit (da Apple).

NÃO VEIO DO REDDIT

Jordan Belfort, o “lobo de Wall Street” em pessoa, vai ser o apresentador de um documentário da Discovery+ sobre a GameStop.

ATRASO

O Clubhouse para Android vai atrasar “alguns meses”. E os clones, de novo, são destaque. No Brasil, o ECAD já estuda como cobrar pelos direitos autorais de músicas veiculadas na rede.

MUNDINHO NÃO-FUNGÍVEL BR

NFT segue sendo a coisa internética que amamos odiar:

VIDRAÇA

O Spotify disse que quer mais “transparência” no modo que os artistas são pagos na plataforma – que ficou mais bonita no PC, por sinal. O site Loud & Clear tenta desmistificar essas informações explicando como funciona a remuneração dos criadores.

FRANKAMENTE

Mike Lindell, CEO da MyPillow e entusiasta de Donald Trump, disse que vai criar sua própria rede social livre, chamada Frank. É como se o véio da Havan criasse um clone do Twitter por aqui.

EM CRISE

O Medium, plataforma de blogs e escritores, falou para sua equipe de jornalistas que a porta da rua é serventia da casa, após falharem em se sindicalizar. Caso clássico de plataforma complexa, gerenciamento cheio de problemas e um mundo de conteúdo crescendo do lado de fora – como Substack, Revue ou o próprio Clubhouse.

Ainda em demissões, a Mel Magazine, que vocês sempre viram por aqui, também demitiu todo mundo porque seu patrocinador/fundador (Dollar Shave Club) cortou o financiamento.

CHAVE DE CADEIA

Em Uberlândia (MG) foi preso um suspeito acusado de ser responsável pelo vazamento monstro de dados de milhões de brasileiros. Mas ele fez tudo… sozinho?

NADA ONLINE

Os indicados ao Oscar 2021 ou vão para Los Angeles participar da premiação ou ficam quietinhos em casa – não existe a opção de entrar ao vivo por Zoom.

GAMES

REVIVAL

Já pararam para pensar na quantidade de jogos que retratam a Segunda Guerra Mundial? Talvez isso tenha uma explicação.

SWITCHOU

E parece que o Google Stadia (que alguns acreditam que não dure muito mais, não vê a Copa do Mundo de 22) tem planos para um controle touchscreen. Olá Androids.

BAIXOU A PORTA

A Sony já marcou a data para acabar com a loja online de PS3, PSP e Vita. Se você espera os jogos de PS3 emulados, pode esperar um bom tempo… o console é conhecido pelas dificuldades de emulação de seus jogos.

É SOBRE GAMES?

A possibilidade da compra do Discord pela Microsoft por US$ 10 bilhões acende mais uma vez a conversa sobre os múltiplos usos da plataforma, originariamente pensada como um hub voltado para games, mas que pode ser o futuro do bate-papo corporativo. Já se fala em proposta exclusiva da Microsoft.

ZEEBO 2, A MISSÃO

A Qualcomm também olha o mercado de games e planeja um console baseado em Android, mirando no público do Switch.

Lembramos, neste momento do Zeebo, o console feito pela Qualcomm e TecToy que tinha um conceito muito legal de jogos online… antes de existirem conexões móveis rápidas mundo afora. Que os erros do passado não se reflitam no novo console. 

LEITURAS LONGAS

PALMIRINHA

No Nieman Lab, uma análise da decisão do New York Times de encerrar seu grupo fechado de receitas no Facebook, com mais de 75 mil membros.

DIVÃ

Na Psychology Today, como realidade aumentada/virtual vai tornar os gestos humanos a nova forma de interagir com computadores.

GUILDA

Na Exame, como jogos de tabuleiro e de cartas se tornaram fenômenos das redes sociais e do streaming. (Samir relembra, saudoso, as partidas de Secret Hitler usando o Tabletop Simulator)

SEM GÁS

Um dos canais mais legais do YouTube recente era o All Gas, No Breaks, com um repórter viajando os EUA e entrevistando gente de todo tipo para “documentar a América“. Mas o canal acabou porque o moleque que mostrava a cara foi sacaneado pelos criadores.

MUDANÇA DE HÁBITO

A Qualcomm comprou a Nuvia, uma empresa de chips fundada por ex-funcionários da Apple. Jean-Louis Gassée, ex-CEO da Apple, analisa essa história

TECHBIZ

LÁ E CÁ

A Amazon Brasil perdeu seu diretor-geral: Alex Szapiro (ex-Apple, ex-Palm) vai para o Softbank. E a AWS tem um novo CEO: Adam Selipsky, atual CEO da Tableau (e velho conhecido da AWS).

UNIVERSAL

O Slack teve uma ideia nada popular: agora – se seu departamento de TI deixar – dá para mandar mensagens para qualquer pessoa que esteja na plataforma, mesmo sem ser da sua organização.

BOLINHAS

Vimos uma demonstração esta semana do Around e queremos fazer toda call por vídeo com a nova plataforma, pensada para evitar a temida “fadiga do Zoom”.

B4

Bolsa agora terá seu primeiro ETF de bitcoin (e o primeiro da América Latina) – quer saber o que é um Exchange Traded Fund? Nós também 😉 

RECRUTAMENTO AUTOMÁTICO

Quais são os problemas do algoritmo como meio de realizar recrutamento e seleção de candidatos? Este artigo elabora uma discussão interessante e que já bate à nossa porta, com vagas muito concorridas, equipes de recrutamento sem tempo, com muita demanda e sistemas inteligentes de análise de currículo.

INTERFACES circula por e-mail toda sexta-feira de manhã. 

Para assinar, clique aqui.

1 comentário