iPhone 13 (review) | Billie “Echo” Eilish | Github
Início » NEWSLETTER » iPhone 13 (review) | Billie “Echo” Eilish | Github

iPhone 13 (review) | Billie “Echo” Eilish | Github

RESUMO

Edição enviada em 24 de setembro de 2021 aos assinantes da INTERFACES NEWSLETTER. Assine e receba toda sexta de manhã.

Olá, bom dia interfacers!

Esta edição começa um pouco diferente, com um review que não é review dos novo iPhone 13. Como assim? Simples: hoje as atualizações são tão incrementais nas gerações de iPhones e Galaxies que brincamos (e temos colegas de mercado que concordam com isso) de que hoje dá para escrever tranquilamente o review do iPhone 14 do ano que vem, mesmo sem saber direito como ele será.

Aí vem a Apple e coloca vídeo com foco que alterna entre pessoas/objetos mais rápido ou insere macro do jeito certo em um smartphone e, boom, fomos surpreendidos novamente (ou, no caso da Samsung, dobrados). Daí, é só preencher os números (megapixels, armazenamento etc.) e publicar. Boa leitura e até semana que vem – Henrique.

ELETRÔNICOS DE CONSUMO

REVIEW-RELÂMPAGO DO NOVO IPHONE 13

Todo ano temos um novo lote de iPhones (e Galaxies, Pixels e por aí vai) com uma eterna conclusão: o produto (insira o nome aqui) é incrível, com pequenas melhorias em relação ao seus antecessores e detalhes novos que te deixam tentado a migrar para a nova versão. Essa afirmação é válida tanto para o iPhone 13 e para o iPhone 13 Mini: câmeras melhoradas (muito parecidas com as do 12 Pro Max do ano passado), baterias que duram um pouco mais, familiaridade com um sistema que você já conhece.

O Engadget gostou muito da versão rosa e da bateria do modelo grande, a Input achou os dois modelos extraordinários, em um update sólido e cheio de pequenas mudanças. A CNN diz que são refinamentos a uma fórmula que já funciona e o NYT levou as câmeras do iPhone 13 para comparar com iPhones anteriores e… não se surpreendeu muito. Segue sendo a indicação para quem precisa de um iPhone novo, como todo ano.

REVIEW-RELÂMPAGO DOS NOVOS IPHONES 13 PRO

Com os iPhones 13 Pro/Pro Max, a história muda um pouco em comparação ao carro-chefe da Apple em smartphones. Aqui temos o melhor do melhor disponível no mercado – tecnologias avançadas de câmera, bateria com maior capacidade, telas com alta capacidade de atualização. Tudo aquilo que a gente deve ver no iPhone 14 “básico” no ano que vem.

Comparando com o mundo Android, é possível ver o que a Samsung faz com os Galaxy S e leva, aos poucos, recursos para os Galaxy A nas gerações seguintes – mas não temos muita esperança de ver um Ax3 dobrável em 2022.

Outro dia um amigo (ou alguém no Twitter, mas perdemos o link) comentou que do jeito que a Apple investe em câmeras, hoje com o iPhone 13 Pro temos uma câmera de bolso que, por acaso, também faz ligações e roda apps. O design segue muito similar à geração anterior, com as lentes um pouco maiores na traseira do aparelho (confissão: o modelo em prata parece lindo), e a bateria maior é um grande destaque para quem já mexeu no aparelho.

O Verge faz muitos elogios à bateria do Pro e ao fato das câmeras serem iguais no 13 Pro e no 13 Pro Max (ano passado tinha uma diferença mínima no sensor). A Wired nota uma pequena alteração no chip A15 Bionic entre os modelos iPhone 13 e iPhone 13 Pro, sendo um pouco mais poderoso para gráficos no aparelho mais caro.

Mas nada técnico importa ao descrever a câmera de um iPhone sem ver o resultado – e as fotos (já tradicionais) do fotógrafo profissional Austin Mann em um ensaio feito na Tanzânia. As imagens são impressionantes, tanto as com zoom como as feitas no novo modo macro. ambém é muito legal ver o vídeo-review de iJustine colocando o iPhone 13 Pro quase no seu olho para mostrar o macro (como a foto de divulgação da Apple que abre esta edição) e os novo modo de vídeo Cinematic.

Vale lembrar que o mundo Android (alô Motorola) fala em fotos macro faz tempo, mas até hoje nenhum fabricante fez uma implementação decente em seus aparelhos (que costumam tirar fotos a 2 megapixels e não focam direito).

NERDICES DE IPHONE 13

IRONIA

Um memorando interno onde Tim Cook reclama de vazamentos na Apple… vazou.

TOMADA

A Comissão Europeia volta a falar no projeto que propõe a adoção de conectores USB-C em todos os novos smartphones a partir de 2024. Seria muito legal ver um iPhone com USB-C no lugar do Lightning (como já ocorre em vários iPads recentes), mas a regra vale apenas para carregadores com cabo, não para carregadores sem fio. Capaz de a lei, se aprovada, só acelerar a adoção de um iPhone com carregamento wireless – que não entra no escopo da lei proposta, mas já segue um padrão universal.

SONHO DE CONSUMO

A Microsoft anunciou sua linha de hardware pronta para chegar às lojas (lá fora) junto ao Windows 11, em 5 de outubro. Destaque para a nova geração do smartphone Surface Duo 2, com duas telas, e para os notebooks Surface Laptop Studio e Surface Pro 8.

Surface Duo 2: Android, duas telas, 5G e algo que nunca veremos à venda no Brasil (Microsoft/Divulgação)

XIIIII (AOMI)

O governo da Lituânia diz que é preciso parar de usar smartphones chineses (leia-se Xiaomi) por eles terem um mecanismo de censura por software – desabilitado na União Europeia, mas que poderia ser ativado a qualquer momento.

BILLIE ALEXA

Classificar em “versões malucas de produtos Amazon”: o Echo Studio edição limitada Billie Eilish, com acabamento com a cara da cantora.

“Alexa, toca Billie Eilish” “Tocando as músicas de Chimbinha no Amazon Music” (Amazon/Divulgação)

MAIS TELA

Já no mundo real, a Amazon também anunciou dois novos Kindle Paperwhite, agora com carregador USB-C, mais bateria e tela maior. A versão Signature Edition permite recarga sem fios também. O Paperwhite novo chega aos compradores da pré-venda em 27 de outubro, e o Signature em 17 de novembro, de acordo com a Amazon.

Na rua, na chuva, na fazenda, com cabo, sem cabo, tem para todos os gostos (Amazon/Divulgação)

TIJOLÃO

A Wired testou o smartphone Nokia XR20, uma versão que faz jus à antiga fama de aparelhos que resistem a tudo da marca.

ACHADOS AMAZON DA SEMANA

CULTURA DIGITAL

A DESCULPA SEM FIM…

O dossiê divulgado pelo Wall Street Journal na última semana sobre os diversos problemas do Facebook segue rendendo: o próprio Comitê de Supervisão (o STF terceirizado da rede) pediu explicações oficiais sobre alguns pontos, incluindo o fato de deixar VIPs sem moderação (ou acima do bem e do mal).

Kara Swisher, musa-inspiradora desta Interfaces e colunista do NYT, resume bem a história: o Facebook entrou em um modo eterno de pedir desculpas – ou atacar quem fala dele, como a nota oficial sobre as reportagens do WSJ, divulgada quase uma semana após o início da publicação do dossiê.

…MAS SEMPRE ESFARRAPADA

Na tentativa de melhorar sua imagem (vale a dica de pedir consultoria da turma da indústria de cigarros, que hoje já fala em acabar com o cigarro), o Facebook anunciou o Projeto Amplify – nada mais do que colocar notícias positivas sobre o próprio Facebook no feed das pessoas. Faltou a eterna opinião do “gerente que diz que vai dar errado”, claro.

Ao mesmo tempo que celebra parcerias com veículos de mídia injetando dinheiro para parecer um grande aliado da democratização de informação. Ah, mas a Interfaces bate no Facebook. Bate sim, porque entende o perigo que o Facebook e todo seu ecossistema onipresente (e pelo visto onipotente, já que não há governo ou sistema de justiça que controle esse kaiju) se tornou nos últimos anos com desinformação, mentira e discurso de ódio.

Henrique deixou de usar o Facebook em 2016 (que hipster), sem apagar a conta. E agora desinstalou o Instagram do aparelho principal (Insta agora só em um telefone backup que fica em casa). Infelizmente, ainda não dá para desativar o Zap, já que o Brasil roda na plataforma – é a malha que ainda sustenta o país rodando, para o bem ou para o mal.

PIPOCA

Um bom motivo para usar iPhone: o Facebook detesta a Apple por conta das mudanças dos termos de privacidade no iOS 15 – e diz isso em público, de forma mais educada e polida. Na prática, isso vai causar impacto no bolso do Facebook com menos rastreamento de usuários e, talvez, seja um dos motivos da troca de CTO (saiu um cara de software, entrou um de hardware).

EFEITO STREISAND

Não falem que Mark Zuckerberg usou uma prancha de surf elétrica nas fotos que mostram o executivo no feriado de 4 de Julho. Ele não gostou: era um modelo normal, movido com sua própria força (do ódio? muscular? nunca saberemos). Sobre o Efeito Streisand.

CAIXA

Mais uma rede social no pedaço: a EloPag diz que paga aos usuários compartilharem conteúdo – que é criado apenas por empresas (anunciantes ou não). Esses posts podem dar um troco para cada ação executada pelo consumidor, como R$ 0,01 por compartilhar ou interagir pelo chat e, ao acumular R$ 50, sacar via Pix (o cadastro requer CPF, o que pode ser polêmico, mas filtra conta falsa). O app já tem mais de 50 mil downloads na Google Play Store e a empresa diz que passou dos 100 mil usuários em um mês após o lançamento. Em resumo, será que um grupo de brasileiros conseguiu resolver o mistério de monetizar uma rede social para o consumidor? Ainda que o foco sejam as classes C/D/E, parece um esforço interessante.

O RABO ABANANDO O CACHORRO

Enquanto isso, em Nova York, influenciadores de finanças/investimento já começam a fazer mais dinheiro que banqueiro em Wall Street. Por aqui, “dica de investimento” na internet acaba caindo em golpe de Bitcoin mesmo (mas gostamos da Nath Finanças e da Nathalia Arcuri).

DESIGUAL

Pesquisa do YouPix mostra que influenciadores brancos fecham 30% mais projetos que influenciadores não-brancos no Brasil (entre outros disparates de falta de equidade racial).

COBRA MORDE O RABO

Semana passada falamos de riscos de usar VPNs muito anunciadas, agora tem mais um problema: muitas delas têm como donos os próprios sites que publicam reviews das VPNs.

PREVENT JUNIOR

O julgamento de Elizabeth Holmes, da Theranos, segue em andamento, agora com testemunhas que fizeram testes com resultados errados (como dizer que a paciente teria um aborto espontâneo, mas não teve).

GAMES

MOBILE É COISA SÉRIA

E a Asus segue investindo neste mercado específico com o ROG Phone 5, linha de três aparelhos com especificações parrudas e algumas propriedades voltadas para jogatina no smartphone. Adoramos a segunda porta USB-C na lateral do aparelho e os preços, para o que o telefone oferece, está muito interessante. E, com essas configurações, deve envelhecer bem demais – se a Asus cuidasse direito das atualizações do Android dos seus produtos.

DIABLO FOI PRO INFERNO

Quem diria que a parte mais difícil do jogo seria conseguir jogar?

SECOND LIFE

Entenda o mundo do GTA RP (roleplay) em que pessoas vivem uma vida paralela nos servidores do jogo (que texto bom do Felipe Vinha). Ainda no mesmo tema, você pode trabalhar no iFood se tiver seu personagem em um dos servidores do jogo. Sim, divertido né? Já treina para o mundo real.

FIM DE UMA ERA

A Sega fechou mais um arcade lendário em Tóquio, atraindo fãs da marca para um adeus.

HISTÓRIA SEM FIM

A briga da Apple com a Epic chegou a um ponto em que a coisa não tem mais volta. Fortnite segue banidos da App Store porque a licença de desenvolvedor da Epic foi cancelada enquanto o processo na justiça perdurar, e a coisa vai demorar uns bons anos.

LEITURAS LONGAS

MINA DE OURO

A Protocol entrevistou Erica Brescia, COO do Github, que fala sobre a expansão da plataforma e o relacionamento com a Microsoft – que é parecido com o que ocorre com o LinkedIn, com (quase) tudo separado.

O CASIMIRO DELES

Lionel Messi, ao sair do Barcelona e ir para o PSG, não deu sua primeira entrevista para a TV ou imprensa esportiva, mas sim para um streamer de esportes na Espanha – e que é muito popular também na Argentina. A Rest of World conta essa história.

(como assim você não conhece o Casimiro?)

EXTERMINADOR DO FUTURO

No NYT, como uma máquina (controlada remotamente com ajuda de inteligência artificial) assassinou um cientista nuclear iraniano dentro do Irã, sem precisar ter agentes do Mossad no local.

FORMIGUINHA

Na Persuasion, como micro influenciadores já afetam resultados políticos mundo afora. É o que sempre falamos: mais eficiente dar um tiro de sniper que chega ao alvo certo do que um de canhão que acerta em volume, mas não garante resultado.

A VELHA QUESTÃO

Dantley Davis, designer afro-americano-coreano, é a pessoa que tenta desenhar um futuro com menos desinformação e racismo no Twitter, como conta a Fast Company.

DO YOU REMEMBER?

Demi Adejuyigbe lança, desde 2016, um vídeo divertido em 21 de setembro, baseado no clássico do Earth, Wind & Fire. O vídeo de 2021, porém, é mais longo e parece ser o último da série – mas segue incrível.

TECHBIZ

VEM AÍ

Uma biografia do malvado favorito Peter Thiel que diz que seu humor péssimo vem de muito tempo atrás.

SIGILO

O Brave, navegador web focado em privacidade, lançou um serviço de videoconferências também pensando em um ambiente “privado por design”, o Brave Talk.

COFRINHO

Cashback é que nem milhas aéreas: você acumula, mas quem ganha mesmo é o banco (ou o emissor do cartão).

BACON

Vai um “iFood” do porco caipira aí?

INTERFACES circula por e-mail toda sexta-feira de manhã. 

Para assinar, clique aqui.

Este post contém links de associados para a Amazon Brasil. 
Caso você compre algo, Interfaces pode receber uma comissão.