Switch OLED | Direito de reparar | Gettr
Início » NEWSLETTER » Switch OLED | Direito de reparar | Gettr

Switch OLED | Direito de reparar | Gettr

RESUMO

Edição enviada em 9 de julho de 2021 aos assinantes da INTERFACES NEWSLETTER. Assine e receba toda sexta de manhã.

Bom dia (bom feriado para quem é de feriado),

Quando alguma empresa cria um produto, ela pesquisa o mercado, cria protótipos, testa, testa, testa e aí lança (ou não). Esta semana temos mais um exemplo de uma rede social de “liberdade de expressão”, o Gettr, que parece que não fez a lição de casa – e está uma bagunça. Enfim, divagamos. A edição traz ainda Steve Jobs no Japão, o direito de consertar coisas e a chegada de um novo (mas nada empolgante) Nintendo Switch. Boa leitura e até semana que vem – Henrique e Samir

ELETRÔNICOS DE CONSUMO

CONSERTOU, ESTÁ NOVO

O direito a reparar um produto eletrônico é um tema recorrente nos Estados Unidos e Europa (e pouco discutido por aqui). Fabricantes (alô Apple!) não gostam disso: dar ao consumidor o direito de consertar seu smartphone quebrado com peças comuns (e que não precisam de chaves de fenda específicas) não é uma atitude muito amiga do investidor.

Um passo para mudar um pouco essa situação começa a ser feito nos EUA, com uma ordem executiva do presidente Biden mirando os… fazendeiros. Motivo: Fabricantes como a John Deere são famosos por travar os donos de trator por software ou algum termo de licenciamento escuso. Se a indústria de eletrônicos melhorar um pouco como consequência, melhor para todo mundo. Menos lixo eletrônico, mais sustentabilidade na cadeia de produção.

ONDE HÁ FUMAÇA

A Apple já encerrou a produção do iPhone 12 mini, por conta de vendas baixas do modelo de tamanho reduzido. Quem diz é um analista de Taipei, e não é a primeira vez que esse tipo de rumor surge.

SUPERMÁQUINAS

Você nunca ouviu falar na ASML Holdings, mas usa todo dia algo feito com máquinas dela e que viraram peça-chave na nova guerra fria entre EUA e China. As máquinas da ASML custam milhões de dólares e são usadas para fabricar wafers de silício, que levam aos processadores e chipsets presentes nos smartphones e computadores (e carros e coisas). Porém, não podem ser exportadas para a China.

Mas a ASML não tem exclusividade na tecnologia e, curiosamente, nesta semana a maior fabricante de chips do Reino Unido (Newport Wafer Fab) foi comprada pela Nexperia (também de sede holandesa, como a ASML, mas controlada por chineses). É uma disputa em andamento.

ONLY FANS

Já a Qualcomm vê uma oportunidade enorme no mercado chinês e quer crescer no mercado de notebooks (e concorrer com os Apple M1).

A companhia também criou um smartphone em parceria com a Asus para ser vendido apenas para os “Snapdragon Insiders”, programa que conta com 1,6 milhão de fãs da marca.

O smartphone tem especificações topo de linha (mas nem traz o chipset 888+, anunciado no MWC) e vem com fones de ouvido sem fio. O preço de mercado é de US$ 1.499 (tem que ser fã mesmo para pagar isso tudo) e seu design é uma mistura de Zenfone com ROG Phone.

SUCESSO?

120 mil pessoas passaram pelos corredores virtuais do MWC 2021, 20 mil estiveram em Barcelona. Em 2019, foram 109 mil participantes na cidade.

POSITIVO E OPERANTE

Estamos entusiasmados com o otimismo da Positivo Tecnologia em buscar um parceiro que dê escala global para a companhia.

DELLAÇÃO

Na editoria jurídica, a Dell foi condenada no Brasil a pagar R$ 10 milhões em um processo de assédio moral. Pelos detalhes descritos (e negados pela Dell), as acusações parecem vir do time de vendas, não da fábrica. Mas proibir de ir ao banheiro parece um pouco além da conta – os funcionários correram para a dellegacia do trabalho (e paramos por aqui com os trocadilhos).

AINDA NÃO É O VAREJÃO FÍSICO

A Realme abriu mais uma loja digital no Brasil: dentro do Mercado Livre, com promessa de entrega de smartphones e acessórios em até 48 horas.

PESQUISA É O CAMINHO E A VERDADE

Quando há dinheiro para gastar, os grandes gastam direito: o Facebook encomendou uma pesquisa para descobrir quais são os apps mais usados em iPhones e Androids. Ao menos nos EUA, a maioria usa apps pré-instalados pela Apple e pelo Google – previsão, fotos, relógios. O que o Facebook quer com isso? Provar que a Apple e o Google favorecem seus próprios serviços e fica difícil competir – tem um ponto importante aqui, claro. E, realmente, não vemos a hora de apps disputarem a atenção para ver quem mostra as horas melhor.

TUTORIAL

O mistério dos iPhones roubados e seus donos terem contas esvaziadas tem uma solução mais simples que imaginávamos: bandidos retiram o SIM card do smartphone furtado, colocam em outro e saem tentando entrar em tudo que é banco e serviço que envia SMS. Talvez seja um bom momento para as operadoras levarem o eSim mais a sério – iPhones têm compatibilidade faz tempo, alguns Galaxy S/Note também.

NADA PARA OUVIR

Nothing, a empresa de Carl Pei (fundador da OnePlus), vai anunciar seu fone de ouvido com cancelamento de ruído no próximo dia 27, mas já sabemos o preço (lá fora, lá fora): US$ 99 pelo Ear(1).

Por US$ 99, os Ear(1) chegam ao mercado, mas não esperem ver um desses no Brasil (Nothing/Divulgação)

ACHADOS AMAZON DA SEMANA

CULTURA DIGITAL

TENTATIVA E ERRO

Gettr é a tentativa de hype do momento nos círculos de direita da internet. A nova pretensa rede social, mais um clone do Twitter, foi criada por um antigo porta-voz de Donald Trump, mas o ex-presidente (que resolveu processar as demais redes esta semana) não está lá.

Quem está no Gettr então? Um monte de médicos brasileiros cloroquiners (não existe tratamento precoce para a Covid-19), seguidores cegos de certo presidente (apesar de a conta ser verificada, ninguém garante que é mesmo ele) e um outro tanto de gente espalhando desenho do Sonic pelado e vovôs de cueca.

Para se estabelecer não falta apenas público, mas cuidado com desenvolvimento da plataforma, que é instável e ruim de se usar mesmo. Fora o discurso de “rede do Trump”, quando o ex-presidente não tem nem conta no serviço.

NANO COM ESTRAGO ENORME

Influenciadores com menos de 10 mil seguidores são considerados “nano influencers”, mas seu poder de fogo para espalhar notícia mentirosa é grande – e a turma radical da direita sabe disso.

Ainda no tema do radicalismo, especialistas avaliam que o Twitter, do jeito que está, pode levar a uma nova insurreição política como a do Capitólio em 6 de janeiro. Já o Facebook quer avisar os usuários sobre preocupações de seus amigos se tornarem extremistas – vai que você dá um toque e ele se arrepende, não? E um novo livro sobre o Facebookdeu o que falar na última semana – funcionários já se preparam para lavar em público a louça suja no livro.

REFORMA

No lado das redes sociais do bem – ou que têm esse conceito, ao menos – a ainda desconhecida Chekmarc anunciou esta semana novos recursos, tentando criar uma comunidade que compartilha apenas coisas positivas. Parece um Quora sem as perguntas cabeludas.

TÁ ACHANDO QUE SOU LOKI?

Os Simpsons invadiram o universo Marvel em um crossover com… Loki.

XOXO

A versão repaginada de Gossip Girl estreou esses dias na HBO Max, mas a Slate já viu e fez um review da série.

TIKJOBS

Que mané LinkedIn, o novo lugar para publicar seu currículo é o TikTok, que criou um canal/hashtag só para isso. Esperamos que as dancinhas não se transformem em histórias de superação.

Ah sim, a ByteDance está vendendo o algoritmo de recomendações usado no TikTok (entre outras tecnologias) para terceiros. As recomendações da plataforma são o grande diferencial – em poucos dias o TikTok passa a indicar coisas do seu interesse de uma maneira tão acertada que impressiona (e vicia).

ORGULHO?

Acabou o mês do orgulho LGBTQIA+ e o mundo voltou a girar como sempre… empresas pararam de realizar suas ações de marketing com arco-íris. Mas o WeChat foi além e resolveu derrubar as contas de universitários LGBTQIA+.

FRAGMENTADO

Muita gente usa o TikTok para falar de saúde mental, e surge um novo tipo de influenciador: pessoas com distúrbio dissociativo (antiga síndrome de múltiplas personalidades) usando uma conta dividida entre várias “pessoas”.

RESPIRA

Um atalho de automação para iOS faz com que apps de redes sociais demorem um tempo para carregar. Resultado? Queda no uso do tempo de tela.

LEI E ORDEM

Levantamento feito pela Folha de S.Paulo descobriu que a Lei Geral de Proteção de Dados serviu de base para ao menos 600 sentenças em todo o Brasil – 74% delas em São Paulo.

Mas pelo amor da deusa da privacidade, não dê o seu dedinho para as farmácias em nome de um desconto, combinado? De toda maneira não dá para se resguardar da vigilância governamental quando a Polícia Federal compra um sistema para registrar a biometria de 50 milhões de brasileiros.

DE VOLTA

Mel Magazine, revista digital de cultura de internet, vai voltar em breve com novo dono. Aguardamos ansiosos.

GAMES

SWITCH OLED

Os boatos davam conta do próximo Switch faz um tempo, mas a Nintendo resolveu jogar um balde de água fria em qualquer expectativa por um console “pro”. A grande novidade é apenas uma tela OLED e alguns detalhes de design na traseira que mantém o portátil em pé e no suporte que faz a conexão dele com a TV. Por dentro, tudo igual. O novo modelo do console vai ser considerado o máximo por fãs da marca, mas o upgrade está longe de ser essencial.

É mais um acerto da Nintendo que vai ampliar um pouco mais o espectro da linha sem fazer muito esforço – e mostra que empresas de videogame podem pensar mais como fabricantes de videogame do que de smartphones e notebooks.

Sem grandes adições, novo modelo do Switch não tem data para chegar ao Brasil (Nintendo/Divulgação)

POKENEGÓCIO

São US$ 5 bilhões transacionados em 5 anos de Pokemón Go, um número gigantesco e que segue crescendo, demonstrando a longevidade do jogo, tanto como diversão para o seu público quanto como plataforma de negócios. Falando em dinheiro… o STF liberou a isenção fiscal de cartas de Pokémon (o link vale pela foto escolhida para ilustrar o tema), por se tratarem de um baralho.

ROBOCOP 2077

Um FPS baseado na trilogia de Robocop, o que pode dar errado? Tudo! Mas esperamos que seja tão bom quanto as lembranças que temos dos filmes originais.

LEITURAS LONGAS

アップルコンピュータ

Steve Jobs era obcecado pelo Japão, e o relato do seu guia em Kyoto é a leitura mais legal do dia.

AULA

No NYT, como aprender a gostar de sinfonias em cinco minutos.

VAI SOZINHO

No Verge, uma visita a Simulation City, campo de provas virtual para carros autônomos da Waymo (da Alphabet, do Google).

CHECK-IN

Na Protocol, duas entrevistas: uma com o CEO do Foursquare (sim, ainda existe) e outra com o chefe de dispositivos de entretenimento da Amazon (leia-se Fire TV).

COFRE

A CNET testou o Bitwarden, um gerenciador de senhas gratuito. Também indicamos o 1Password, que usamos MUITO e o tempo todo (pago – e não recebemos nada de comissão pela indicação).

TECHBIZ

OK GOOGLE

As operações de Google Cloud no Brasil vão de vento em popa, pelo visto.

DO TWITTER PARA O RH

Um desenvolvedor fez piada com um nome de serviço da AWS que não existe no Twitter. Werner Vogels, CTO da Amazon, entrou na brincadeira e tuitou também que teria um evento do #infinidash no intervalo de Bélgica x Itália na Euro 2020.

Consequência: o Signal abriu (?) uma vaga procurando profissionais no tema (!). Em resumo, o AWS InfiniDash não existe (ainda, vai saber).

APRESSADO

A disputa para ver quem traz produto da China mais rápido para o Brasil segue agora com as Casas Bahia, que prometem importações em até 15 dias. A coisa é séria mesmo: Henrique comprou um cabo USB-C no AliExpress em 21 de junho e recebeu ontem.

VISÍVEL, MAS PARA POUCOS

O Nubank anunciou seu cartão Ultravioleta Mastercard Black, com anuidade cara, uma inscrição visível apenas com luz UV e promessa de Apple Pay. Para clientes de alta renda, temos a impressão de que o mercado de cartões tem melhores opções na categoria.

NA BOLSA

A Wise (ex-Transferwise) abriu o capital na bolsa de Londres, com uma avaliação de mercado de US$ 11 bilhões. A fintech usou a mesma estratégia do Spotify para entrar na Bolsa, com listagem direta (não é uma oferta pública, e sim a venda direta dos investidores iniciais direto ao público).

MAIS UMA

A Lambda3 foi comprada pela Tivit Ventures. A movimentação é mais uma no aquecido cenário do desenvolvimento de software nacional, deixando clara a importância do trabalho técnico feito pela Lambda3 e da sua marca (a empresa se preocupa bastante com produção de conteúdo e sua imagem). Além, claro, do interesse da Tivit em ampliar seu espaço como gigante do mercado (investindo R$ 400 milhões até 2025, comprando 10 startups por ano).

HOMEM PRIMATA

Capitalismo selvagem, com a Rappi comprando vacinas contra Covid-19 na Colômbia e prometendo vacinar “os melhores entregadores”. A empresa usa a desculpa de que aqueles que visitam mais clientes precisam de mais imunização, mas no fundo vemos a boa e velha desculpa para criar engajamento do empregado, é praticamente a gamificação da saúde.

Onde é a arena de Jogos Vorazes mesmo?

INTERFACES circula por e-mail toda sexta-feira de manhã. 

Para assinar, clique aqui.

Este post contém links de associados para a Amazon Brasil. 
Caso você compre algo, Interfaces pode receber uma comissão.