Controle remoto 🌞 | Farmville acabou | Sindigoogle

Controle remoto 🌞 | Farmville acabou | Sindigoogle

RESUMO

Edição enviada em 08 de janeiro de 2021 aos assinantes da INTERFACES NEWSLETTER.

Bem-vindos a 2022, já que os primeiros sete dias de 2021 foram estressantes o suficiente. Brincadeira à parte, estamos acompanhando tudo que segue acontecendo nesse mundo em quarentena na espera da vacina – e tem muita coisa acontecendo.

Boa leitura, indique Interfaces para os amigos e at̩ semana que vem, quando a CES vai encontrar o Samsung Unpacked com o Galaxy S21. РHenrique e Samir.

ELETRÔNICOS DE CONSUMO

O MAIS LEGAL NÃO É A TV

Na prévia da CES 2021, a Samsung anunciou seus modelos topo de linha de televisores para 2021 com tecnologia MicroLED – daquelas que vai deixar a imagem mais incrível, nítida e com contraste alto em resoluções 4K e 8K na sua sala de estar. 

Mas o controle remoto, velho coadjuvante ignorado por tudo e por todos (não menos útil, claro), foi a estrela da apresentação: os novos controles virão com uma bateria interna que pode ser recarregada com luz solar, aposentando de vez o uso das pilhas AAA. Caso você more em algum lugar com poucas horas de sol por dia, a bateria também pode ser recarregada com luz interna e, e caso mais extremos, pelo cabo USB. 

A Samsung diz que espera que o mundo economize 99 milhões de pilhas nos próximos sete anos – pilha é um item tão comum em casa que a gente esquece que existe e acaba não tendo ideia do volume global que é capaz de gerar (e poluir). Que os outros fabricantes sigam o exemplo.

Estamos curiosos, porém, com o evento do dia 12 da Samsung: é a primeira vez (pelo menos em nossa memória de peixe dourado) que a marca faz algo grande para falar de processadores Exynos, que devem estar na família Galaxy S21 (que será anunciada dia 14 – semaninha cheia, né?).

Samsung NEO QLED
TV da linha NEO QLED apresentada na prévia da CES (Samsung/Divulgação)

TAMPINHA DA PRIVACIDADE

Já a Dell por enquanto só falou de produtos corporativos na sua pré-CES: destaque para os notebooks Latitude 9000 com uma tampa automática na webcam, monitores com câmeras integradas e seu primeiro monitor ultrawide de 40″. 

Ainda nos notebooks, a Samsung apresentou um novo Galaxy Chromebook 2 (com tela QLED), a LG, modelos da linha Gram com bateria enorme e a Acer também anunciou seu Chromebook com processador AMD.

LIMPA SOZINHO

A LG – que vem anunciando coisas da CES desde antes do Natal – mostrou o CordZeroThinQ A9 Kompressor+ (não, não é o nome do mais novo lanç… filho de Elon Musk), um aspirador de pó sem fio que usa sua base de recarregamento como central de limpeza. Depois é só jogar o saco com a sujeira fora.

Temos dúvidas se alguém deixa o aspirador na sala (LG/divulgação)

AGORA É REAL

Prevista para dezembro (com o atraso avisado no final do ano), a Realme lançou dois smartphones (Realme 7 e 7 Pro), fones de ouvido sem fio (Buds Q) e um relógio inteligente (Watch S) com preços razoáveis para uma marca nova no país.

O desafio da companhia chinesa é parecido com a da Xiaomi no Brasil: como competir com produtos da própria marca vendidos nos marketplaces com preços muito menores. Seu primeiro parceiro de varejo são os sites da B2W (Americanas e Submarino), que vendem os lançamentos com o termo “para atrair consumidor” do momento: 10% de cashback.

Realme 7 Pro: um intermediário com processador Snapdragon (Realme/Divulgação)

NOTÍCIAS DE 2020

O NOVO CHEFÃO

Mudança de cadeiras na Qualcomm: com a aposentadoria do atual CEO Steve Mollenkopf no meio do ano, o brasileiro Cristiano Amon (atual presidente da Qualcomm Incorporated). Mollenkopf, com 26 anos de casa, foi responsável por tornar a Qualcomm gigante no mercado de smartphones.

LASER

O TikTok é o primeiro grande aplicativo de uso em massa que se aproveita do LiDAR presente nos novos iPhone 12 Pro/Pro Max. É um filtro de realidade aumentada para criar efeito de confetti caindo no ambiente. 

CALCULADORA

A consultoria Counterpoint calculou o valor dos componentes de um iPhone 12: US$ 431, ou 26% a mais que o iPhone 11.

ACHADOS AMAZON DA SEMANA

CULTURA DIGITAL

QUEM PODERIA IMAGINAR, NÃO É MESMO?

A invasão bárbara ao Capitólio americano (uma tentativa de golpe) mostrou ao mundo duas coisas muito claras: 1) Desenhou a linha para fazer com que Twitter, Facebook, Twitch, YouTube finalmente banissem / proibissem Donald Trump (porque afinal todo racismo, misoginia e incitação ao ódio eram toleráveis). É uma linha difícil de atingir? É. Difícil demais.

Tivessem as redes agido antes, com mais rigor e não se escondendo atrás de termos vagos para evitar o confronto com extremistas, isso não aconteceria. Ironia: menções a Trump foram banidas até do TikTok, que tentou expulsar dos EUA. Trump, por razões óbvias, não tem uma conta por lá. 

2) Deixou claro que todos os sinais de que algo ia acontecer estavam na cara de todo mundo nas redes sociais (o próprio Facebook previu o caos em setembro do ano passado). O chamado vinha sendo feito online e infelizmente se concretizou na última quarta-feira. Vale ressaltar que, apesar do banimento/suspensão de Trump, transmissões da invasão foram feitas ao vivo no YouTube e Twitch (pelos vândalos) e até mesmo no TikTok – principalmente repórteres ao vivo.

HORA EXTRA

O pessoal de segurança da informação (e TI em geral) do Congresso americano vai ter que trabalhar bastante para checar/proteger/restaurar os computadores que podem ter sido acessados de forma indevida durante a surrealidade que vimos pela TV e pelo Twitter.

FALANDO EM CRIMINOSO NAS REDES

Passou meio batido, mas o terrorista local que atacou Nashville na véspera do Natal com um carro-bomba tinha um alvo claro: o prédio da operadora AT&T. O cara vivia na paranoia de que tecnologia 5G espiona as pessoas (coitado, deve ter dito isso no Facebook).

SONHO X REALIDADE

A coordenação da distribuição de vacinas contra Covid-19 na Flórida está usando serviços online como o Eventbrite para organizar os atendimentos. Na prática, todo mundo está usando o telefone mesmo (e tem golpista na web, claro).  Falando em Covid-19, uma leitura longa na NYMag sobre a teoria de que o vírus foi criado em laboratório (poderia ter sido, mas não foi).

DRA. MANHATTAN

Conheça Isodope, alter-ego da brasileira Isabelle Boemeke, considerada a primeira influenciadora de energia nuclear.

MUSICAL

No final do ano, um meme do TikTok envolvendo Ratatouille virou um musical que foi recriado por mais de 90 atores (com elenco que inclui Adam Lambert e Tituss Burgess, de “Unbreakable Kimmy Schmidt”). Venderam 70 mil ingressos e levantaram mais de US$ 1 milhão para caridade.

SAIU DO FORNO

O catálogo do Quibi, aquele streaming que não deu certo em 2020 por apostar em formatos móveis em um ano que ninguém saiu de casa, tem uma esperança de encontrar um arquivo: a Roku negocia comprar os direitos das produções.

CHUVA

Existe um mercado enorme no submundo do Spotify: o dos criadores de áudio de ruído branco, que pode ser considerado uma espécie de spam musical.

GAMES

O FIM DE UMA ERA

Farmville o rei dos joguinhos de Facebook, Está morto e enterrado junto ao Flash (desativado em 31/12) e pode ser considerado o pai de Stardew Valley (a mãe é Harvest Moon), responsável por popularizar a mecânica de vício nesse tipo de jogo online.  

Usar tema rural e uma dinâmica viciante não era novidade, mas o formato serviu para inspirar o Candy Crush e outras drogas mais pesadas. Vai embora o ícone e fica o legado de horas desperdiçadas, bilhões (com B) de dólares gastos em moedas e uma interminável lista de pessoas que largaram aquilo tão logo perceberam que não iria dar em nada nem levar a lugar algum. 

SÓ FALTA TER FILA

A Epic resolveu criar o escritório dos sonhos de todo paulistano e comprou um shopping para ser sua nova sede.

SE CONTENTE COM CYBERPUNK

Se você ama um jogo de mundo aberto bem feito, vai ficar esperando… O GTA 6 não está nos planos – tão cedo.

LATINOS

O futuro do Angry Birds passa pela América Latina.

LEITURAS LONGAS

NARIZ/CABEÇA

Na BBC Future, a velha ideia de “TV com cheiro” nunca morre – mas novas pesquisas dizem que talvez isso seja possível. E na One Zero, um potencial detector de mentiras que pode ler sua mente (?)

COVID EXPOSTO

A newsletter de Taylor Lorenz (repórter de social media do New York Times) entrevistou o anônimo responsável pela conta Gays Over Covid, que expõe festas/aglomerações que ocorreram no final do ano em todo o mundo.

No Brasil, a conta Brasil Fede Covid faz um trabalho similar de conscientização forçada.

PASSADO

Na Vice, o que aconteceu com o Altavista, o buscador da  pré-história da internet.

BEM-PASSADO

E na Wired, os resultados de um trabalho coletivo (que incluiu o FBI) para traduzir o código do assassino do Zodíaco, 51 anos depois.

CRU

Uma questão não-tecnológica que precisava ser respondida: por que os Stormtroopers atiram tão mal?

TECHBIZ

NOTION NA TERRA DOS SEM-NOÇÃO

Notion, o app de organização para pessoas/empresas, viralizou no TikTok entre estudantes. Tá aí um modo que nunca imaginaríamos algo corporativo se tornar popular entre a geração Z.

SINDIGOOGLE

Empregados do Google decidiram se unir em um sindicato. A decisão é fato raro dentro de gigantes da tecnologia, mas o contexto em que isso ocorre é bem específico: casos cada vez mais constantes de silenciamento de reclamações sobre problemas éticos na empresa.

CHEGANDO

N26, o banco digital alemão hypadíssimo no exterior, recebeu autorização para operar no Brasil. Não confundir com C6 Bank, que é outro banco digital.

NASCEU

MadeiraMadeira, a melhor startup com nome engraçadinho, recebeu um belo aporte no começo do ano e é o primeiro unicórnio de 2021.

NA CAMA COM O TRABALHO

Não é a gente falando, é o New York Times: tudo bem trabalhar da cama (Henrique é entusiasta do “bed office”).

INTERFACES circula por e-mail toda sexta-feira de manhã. 

Para assinar, clique aqui.