Neon: humanos artificiais são reais (ou quase)

Neon: humanos artificiais são reais (ou quase)

RESUMO

Adeus assistente virtual, olá humano artificial. Neon quer mudar esse mundo de atendimento ao consumidor.

Ano passado a Neon chamou atenção na CES ao anunciar avatares digitais realistas – ou humanos artificiais, nas palavras deles. Todo mundo (incluindo a gente) ficou cheio de dúvidas.

Na CES 2021 a Neon tem um produto: os avatares são o rosto de um sistema de Inteligência Artificial que fala com pessoas/clientes (em diversos idiomas) e os primeiros produtos comerciais começam a chegar ao mercado ainda este ano. O que dá a entender que a companhia cria atendentes digitais realistas para outras empresas – é um produto B2B mesmo, apesar do jeito de ser voltado ao consumidor final.

O que a Neon anunciou

1) o Neon Workforce, para criar serviços de “transformação digital” para empresas (pense em um atendimento virtual estilo Magalu, só que muito mais personalizado).

2) Neon Content Creation, um software de criação de conteúdo para esses avatares digitais. Na prática, para criar influenciadores digitais mais realistas (e com discurso baseado em IA).

Por que importa?

A Neon diz que já tem dois projetos piloto em andamento na Coreia do Sul: um com um banco (Shinhan Bank) usando avatares Neon para atendimento em totens e uma empresa de mídia (CJ) para criar um influenciador virtual ainda este ano, com mais projetos a serem anunciados com empresas de mídia e outros setores de serviços.

A companhia informa que pretende “moldar o futuro do trabalho” em aplicações de ensino à distância, atendimento ao cliente, varejo sem contato e saúde remota, entre outros. A empresa faz parte do STAR Labs, uma unidade independente de pesquisas da Samsung.

[Neon]
Escrito por
Henrique Martin