Galaxy S21: em linha nova, Samsung cria o ‘pós-flagship’
Câmeras do Samsung Galaxy S21 Ultra

Galaxy S21: em linha nova, Samsung cria o ‘pós-flagship’

RESUMO

Linha Galaxy S21 traz três smartphones: S21, S21+ e S21 Ultra, com 5G e novos recursos de câmera – incluindo duas lentes zoom no Ultra.

Galaxy S21: o que importa

Samsung Galaxy S21 Ultra, S21+, S21
  • São três novos modelos, como em 2020: S21, S21+ e S21 Ultra e os fones sem fio Galaxy Buds Pro.
  • A Samsung diz que S21 e S21+ são smartphones considerados “flagship” (o topo da linha). e que o S21 Ultra oferece “uma experiência superior à prova de futuro” e “premium máximo”. Entramos em um mundo pós-flagship então.
  • Já estávamos, na verdade, com o Galaxy Z Fold2 e o iPhone 12 Pro Max – mas ninguém tinha admitido isso ainda.
  • Todos os modelos têm a premissa de trazerem câmeras excelentes com um monte de novos recursos de inteligência artificial para foto e vídeo (incluindo captura em 8K a 60 quadros por segundo).
  • Space Zoom, o recurso de software e câmera para dar zoom para espionar vizinhos de 30x (S21, S21+) e 100x (S21 Ultra) recebeu melhorias e traz maior estabilização e trava de foco distante. aPara mim, ainda é truque de marketing para mostrar números grandes na campanha de TV (e que você vai usar uma vez, se decepcionar, e se exibir para os amigos quando puder fazer festa de novo).
  • Qual escolher? À primeira vista, pergunta difícil.
    • Mas o posicionamento de mercado da Samsung costuma indicar que o S21 será voltado para ofertas de operadoras (é lindo, mas tem menos recursos que os demais). E também entra no discurso oficial do “meu primeiro smartphone topo de linha”.
    • O S21+ fica no meio termo – ótimos recursos, vai valer a pena em um futuro próximo quando tiver preço de intermediário. E é bom para quem quer uma tela grande, mas em um aparelho não tão grande (161,5 mm de altura) como o Ultra (165,1 mm).
    • E o S21 Ultra é o carro de luxo cheio de acessórios bacanas – e que vai ser mais caro de todos. Como qualquer eletrônico, depende do seu bolso e das suas necessidades.
  • Graças à pandemia, a Samsung adiantou a chegada da nova linha de meados de fevereiro (antes do Mobile World Congress, quase sempre) para o começo de janeiro, no último dia de CES 2021. Então acredito ser possível chamar o S20 de geração precoce: foi substituída em menos de um ano.
  • A Samsung adotou um novo design para os smartphones, com a borda lateral integrada à câmera, meio que “abraçando” a traseira. O S21 tem quatro opções de cores (cinza, branco, rosa, violeta), S21+, três (preto, branco e violeta) e o S21 Ultra apenas duas (preto e prata).
  • É um belo avanço ao feito com a linha S20 ano passado – mas ainda acho as linhas Galaxy S7 Edge e S10+ as mais bonitas da linha recente da Samsung.
  • O acabamento em preto do S21+/Ultra é fosco e dá um efeito interessante ao aparelho (piadinha é que é o smartphone do Darth Vader, fica a dica para a Samsung fechar parcerias de licenciamento como já fez com Vingadores num passado recente). O prata lembra uma versão fosca do acabamento “cor de CD” do Galaxy Note 10. E o S21/S21+ violeta com a câmera dourada é um dos aparelhos mais bonitos dos últimos anos.
  • E seguimos com uma borda minúscula na frente dos aparelhos. Mas o display curvado está indo embora. A tela é plana no Galaxy S21 e tem uma curvatura mínima (quase imperceptível) no S21+/Ultra.
  • Mas nem tudo é excelente no novo desenho industrial, e o calombo na parte traseira causado pelo módulo de câmeras segue enorme e deixa o aparelho desnivelado – se estiver sem capa em uma mesa, o S21 vai ficar torto. A traseira do S21+ e S21 Ultra é feita com vidro, mas a do S21 é “glasstic”, um policarbonato que, bem, não é vidro (e faz muita gente purista chiar. Não vejo como um grande problema).
  • E vale notar que o Galaxy S21 Ultra é enorme – maior que o iPhone 12 Pro Max, que já é grande:
  • Todos os aparelhos têm conectividade 5G, o que não importa no Brasil ainda (a não ser que você caia no conto do 5G DSS).
    
  • No exterior, a caixa dos Galaxy S21 virá sem carregador (seguindo o exemplo/desculpa “ecológica” da Apple). Porém a Samsung Brasil diz que avalia a situação e não confirma ainda a chegada sem carregador ao mercado local (que imagino ser já em fevereiro). Preços em reais e data de lançamento por aqui ainda não foram divulgados.
  • As configurações básicas dos três modelos é similar: Android 11 no software, o novo processador Samsung Exynos 2100 (para Brasil e quase todo o mundo) e Snapdragon 888 (para mercado norte-americano), 8 GB de RAM no S21 e S21+ e 12/16GB de RAM no S21 Ultra. Armazenamento de 128/256 GB nos três Galaxy, o Ultra traz uma opção adicional de 512 GB.
  • Todos têm telas AMOLED Dinâmico 2x com taxa de atualização variável de até 120Hz (que se adapta ao estilo de uso usando inteligência artificial – fica mais lento ao ler um texto na web, mas mais ágil em um game ou filme). O controle de luz azul na tela da linha S21 agora é automático, também baseado em IA. O sensor de digitais fica integrado à tela e é 1,7x maior que no S20.
  • O Galaxy S21 tem tela de 6,2″ Full HD+, o S21+, 6,7″ também Full HD+ (ambos com taxa de atualização que vai de 48 a 120Hz) e o S21 Ultra, 6,8” com resolução WQHD+ (de 10 a 120Hz).
  • As baterias têm capacidades de 4.000/4.800/5.000 mAH, respectivamente, e todos trazem proteção IP68, carregamento rápido com e sem fios e alto-falantes estéreo da AKG.
  • A Samsung também não vai fornecer fones de ouvido com os Galaxy S21. Ouch.
  • O S21 Ultra tem as especificações mais avançadas, sendo o único aparelho com conexão Wi-Fi6E (não que alguém tenha um roteador compatível), compatibilidade com a S Pen do Galaxy Note 20 (funciona qualquer caneta de Note desde ou Tab S, e a Samsung vai vender capas com encaixe para uma S Pen).
  • Sua tela, entrando em especificações bem técnicas, tem brilho máximo de 1.500 nit (permitindo o uso direto na luz solar sem esforço visual) e uma taxa de contraste de 3.000.000:1.
  • Sobre a S-Pen, a Samsung comentou que tem planos de “expandir a experiência da S Pen para outras categorias de produtos no futuro”.
  • S21+ e S21 Ultra também têm conectividade UWB – que funciona com as novas Galaxy SmartTag (que funciona com UWB e Bluetooth Low Energy). É uma “etiqueta” para transformar itens offline, como sua mochila ou seu cachorro, em objetos conectados rastreáveis pelo smartphone Galaxy. O app SmartThings, da Samsung, ganha o recurso de “Encontrar” objetos também.
  • A Samsung só citou a Galaxy SmartTag na apresentação que tive acesso prévio, mas não deu muito mais detalhes do produto, mas deve falar do produto na sua apresentação no Unpacked hoje.
  • Ainda sobre UWB: A linha S21 poderá ser usada como chave de carro. A Samsung comenta que vai “anunciar a parceria com as principais montadoras de carros, criando a oportunidade de gerar experiências de próxima geração ainda este ano. Estamos trabalhando para expandir nossas parcerias com as fabricantes com a meta de oferecer esse recurso em diversos carros e modelos”.

Galaxy S21: mais IA na câmera

  • As câmeras da linha Galaxy S21 são:
    • triplas no S21 e S21+ (12 megapixels na principal e grande angular e 64 megapixels na tele), com frontal de 10 megapixels;
    • quádrupla no S21 Ultra (108 megapixels na principal, 12 na grande angular, 10 na primeira tele de 3x e 10 na tele de 10x – sim, são duas lentes zoom) com 40 megapixels na frontal. A lente principal tem foco automático com detecção de fases (o que é uma ótima notícia).
  • A Samsung diz que aperfeiçoou muitos recursos presentes na câmera:
    • o modo Single Take 2.0 usa “cinco vezes mais processamento de inteligência artificial” para tirar melhores fotos/vídeos em uma cena única, incluindo câmera lenta, e criar uma galeria automática
    • o modo Visão do Diretor permite alternar entre as lentes muito rápido ao fazer um vídeo. Tem um modo Vlogger para filmar simultâneo com câmeras traseira e frontal (nada novo, mas divertido).
    • Uma das críticas ao S20 Ultra foi corrigida: pelo que testei rápido, o foco está muito veloz nas câmeras novas (e bem preciso/nítido). Mas sigo achando o Space Zoom uma bobagem.
    • Gravar vídeo em 8K permite tirar capturas da imagem e transformá-las em fotos de alta definição de 33 megapixels. E dá para usar os Galaxy Buds Pro como microfones adicionais na captura de vídeo.
    • O modo noturno de fotografia usa “nonabinning” (junção de 9 pixels em 1). Nas demonstrações, a Samsung diz que tira fotos mais claras à noite e com menos ruído em condições ruins de luz. O modo noturno pode tirar fotos com exposição mais longa (mas pelo que entendi é uma opção para trocar nos menus).
    • O modo noturno promete tirar fotos de fogos de artifício com facilidade.
    • O modo retrato parece que viu o que a concorrência faz (oi Apple) e tem agora configurações para uso de luz de estúdio e monocromática, com a IA (de novo) analisando o fundo em 3D para “gerar desfoque como uma câmera DSLR”. Estou curioso.

[Samsung]

Escrito por
Henrique Martin
3 comentários