Galaxy M51, Moto G9 Power: a era da super bateria

Galaxy M51, Moto G9 Power: a era da super bateria

RESUMO

Galaxy M51 e Moto G9 Power são smartphones com muita capacidade de bateria em 2021. Testei para ver qual a realidade por trás da promessa.

Moto G9 Power, Galaxy M51
Moto G9 Power, Galaxy M51

Processadores, telas, sensores e câmeras evoluem a cada ano nos smartphones. Mas as baterias só aumentam a capacidade, sem grandes novidades em tecnologia de armazenamento de energia.

Em 2021, dois aparelhos – Motorola Moto G9 Power e Samsung Galaxy M51 – são um exemplo de que dá para ter bateria gigante sem comprometer muito o tamanho do aparelho e conseguir uma boa experiência de uso.

Capacidade de bateria “grande” é algo relativo. Apesar dos modelos da Samsung e da Motorola terem, respectivamente, 7.000 e 6.000 mAH, isso pode mudar em um futuro próximo. Três anos atrás um smartphone com bateria de 4.130 mAH era considerado um aparelho com “bateria gigante“.

Quanto dura uma bateria dessas?

Em tempos de pandemia, sem sair de casa, a melhor solução foi atrás de um velho e bom benchmark, uma ferramenta que simula o uso intenso de aplicativos no smartphone e dá uma noção razoável do tempo de duração dos dois aparelhos.

Usei o PC Mark para Android, da UL, nos dois aparelhos. Ambos com 100% de carga na bateria, com sincronização de e-mails desativada e atualizações automáticas desligadas também (tive que refazer o do G9 Power por ter atualizado sozinho no meio da madrugada e interrompido o processo).

Seguindo as recomendações da desenvolvedora do benchmark, deixei as telas com brilho de 50%, ativei o teste e fui fazer outras coisas da vida.

Segundo a UL, o resultado é a estimativa de um ciclo de uso de 95% (de 100% de carga a 5%) extrapolado das medições da duração enquanto o benchmark roda. Quando a carga da bateria do aparelho passa da marca de 20% de capacidade, o processo de testes é encerrado e saem os resultados:

  • Samsung Galaxy M51: 35h44min
  • Moto G9 Power: 33h43min

No mundo real, dá para estimar – baseado em experiência pessoal – que ambos duram pelo menos dois dias longe da tomada. O que é excelente para quem procura um aparelho com bateria robusta.

Sempre bom lembrar que esses smartphones não são para quem quer o estado da arte em câmeras e desempenho monstruoso com telas de altíssima definição. São modelos para quem precisa ter bateria o dia todo, o resto é acessório.

Qual escolher?

Os dois aparelhos seguem o padrão de “smartphone intermediário” de 2020, com 4/6GB de RAM e 128 GB de armazenamento, telas grandes e câmera de 64 megapixels (qualquer fabricante de Android tem uma configuração assim: Samsung, LG, Motorola, Xiaomi…)

As grandes diferenças ficam na escolha do processador: o Moto G9 Power usa um Snapdragon 662 (lançado em 2020 e considerado um “intermediário” pela Qualcomm), o Galaxy M51 vem com um Snapdragon 730G (de 2019 e considerado um “high-end”, um pouco mais avançado).

Pelas especificações técnicas, o Galaxy M51 é mais avançado que o Moto G9 Power, e isso se mostra no preço sugerido no varejo (e nas opções que eu faria):

A Samsung também tem um aparelho com especificações mais próximas do Moto G9 Power e bateria de 6.000 mAH: é o Galaxy M21s, que tem preço sugerido de R$ 1.499.

Fato curioso observando a tabela acima: o Galaxy M51 tem 1.000mAH a mais de capacidade de bateria que o Moto G9 Power, mas pesa menos (213g x 221g). A seguir, algumas observações minhas sobre os aparelhos.

Galaxy M51

O design do Galaxy M51 segue o padrão da série A lançada em 2020: tela quase cheia, bordas mínimas, câmera frontal centralizada no topo, câmeras múltiplas na traseira (uma principal de 64 megapixels, grande angular de 12MP, macro de 5MP e sensor de profundidade também de 5MP).

O leitor de digitais fica na lateral direita do aparelho, que facilita o uso, e o carregador que vem na caixa é de 25W, compatível com carregamento rápido.

De longe, é difícil distinguir um Galaxy M51 de um A51, de um M31 ou até mesmo do Galaxy S20FE, que tem a mesma linguagem industrial, mas é um modelo mais avançado por dentro.

Moto G9 Power

Anunciado pela Motorola junto ao Moto G 5G, o Moto G9 Power tem um design que também segue a linha Moto G, com mais bordas na tela e um acabamento traseiro diferente, com textura e um gradiente que muda de acordo com a incidência da luz, dando um efeito bem bonito (esse é o “verde pacífico”).

As câmeras são de 64 megapixels (principal), 2 megapixels (macro) e 2 megapixels (sensor de profundidade). O leitor de digitais fica no “M” da traseira do aparelho e ele vem com capa de proteção e um carregador rápido de 20W na caixa.

Para assinar INTERFACES clique aqui e receba o melhor da tecnologia por e-mail toda sexta-feira de manhã, com a nossa curadoria.

Escrito por
Henrique Martin