Review: Samsung Galaxy Buds Live, o feijão maravilha

Review: Samsung Galaxy Buds Live, o feijão maravilha

RESUMO

Os fones de ouvido Samsung Galaxy Buds Live são mais divertidos do que eu esperava – são uma nova categoria de fone “ame ou odeie”.

Os fones de ouvido Samsung Galaxy Buds Live são mais divertidos do que eu esperava – são uma nova categoria de fone “ame ou odeie”. Leia o review.

Galaxy Buds Live: o que importa

  • Qualidade do som é muito boa, bateria dura o suficiente e prometido pela fabricante.
  • Cancelamento ativo de ruído é questionável, ao menos para uso dentro de casa. No mundo selvagem talvez se comporte de forma diferente. E existem alternativas de fones de ouvido sem fio com cancelamento de ruído melhores no mercado (Sony WF-1000XM3, estou falando de você. Ou dos AirPods Pro).
  • O formato de feijão se encaixa bem no ouvido, mas não é um fone para todo mundo. É estranho dizer isso, mas existe uma curva de aprendizado para encaixar os Buds Live de forma correta no canal – e depois que você aprende, ele fica quase imperceptível de tão leve/confortável. Se possível (e com segurança) tente ver um de perto em uma loja do varejo ou da Samsung. Não compre no escuro.
  • Nesse sentido, os Galaxy Buds+ são fones da Samsung mais “universais” e com outros recursos.
  • Compraria um? Sim, pelo conforto/qualidade de som. Não pelo cancelamento de ruído.

interlúdio para o Galaxy Note 20 Ultra e avisos gerais

As fotos deste post foram feitas com o Samsung Galaxy Note 20 Ultra (editadas no Lightroom para iPad), exceto quando indicado (prints do app e algumas imagens de divulgação). Preparo um review focado em produtividade do aparelho com canetinha para os próximos dias.

O smartphone – visto aqui em cima carregando os Galaxy Buds Live (foto feita com o Galaxy S20 Ultra) – chega às lojas em 18/9 pelo valor sugerido de R$ 7.999 (12GB de RAM, 256GB de armazenamento interno). Os Buds Live custam R$ 1.299 – ambos em pré-venda junto com o Galaxy Note 20 (R$ 6.499), os tablets Galaxy Tab S7/S7+ (R$ 6.599/R$ 8.999) e o relógio Galaxy Watch 3 em 41/45mm(R$ 2.799/R$ 2.999).

A amostra do Galaxy Buds Live foi enviada pela Samsung para review e será devolvida. Enquanto eu finalizava este texto, a fabricante mandou como doação mais um par de Buds Live, que vou usar para outros testes no futuro.

Galaxy Buds Live: design

O design dos Galaxy Buds Live segue o padrão dos fones Bluetooth até a página 2: a caixa carregadora é parecida com todas as outras. A Samsung fala em “caixa de joias”, eu penso em “o dia que a vida voltar ao normal não sei se isso vai caber no bolso da calça sem chamar atenção”.

Com um LED indicador da bateria do case por fora…

… e um conector USB-C na traseira.

Ao abri-la, os fones-feijão, que têm um desenho único no mercado de fones hoje. E o LED indicador da bateria dos fones.

Ao remover os fones, vemos os contatos de recarga. Segundo a Samsung, 5 minutos na caixa equivalem a 1 hora de música nos ouvidos. Algo positivo em tempos de pandemia: os Buds Live são bem mais simples de limpar (tanto o fone, por acumular menos ou quase nenhuma cera, quanto o case branquinho – o dos Buds+ precisa de faxina de tempos em tempos com um cotonete).

Os fones propriamente ditos, com alto-falantes de 12mm e um duto de graves.

Apesar do formato-feijão, os Buds Live vêm com duas borrachas de encaixe. A menor já vem instalada de fábrica, a maior está na caixa do produto com o cabo USB-C para recarga da base. Também simples de limpar e de trocar.

Na orelha: modo de usar

É a parte polêmica dos Galaxy Buds Live. No manual do produto funciona assim: a parte inferior do fone entra no canal auditivo e a superior se encaixa no ouvido.

Funciona assim? sim. Mas nas imagens de divulgação da Samsung, parece que cada pessoa está usando de um modo diferente (porque cada orelha é diferente, oras, e a minha é pequena).

Eu mesmo – nas duas últimas imagens – usei de formas distintas com o mesmo resultado. Tirei a borracha e ele caiu. Não use sem a borracha. Quando encontro o encaixe ideal, parece que não estou com fones no ouvido, o que é muito bom em um fone desse tipo.

Parece que está meio solto, mas não está, sem sensação de que vai cair. O som está bom – apesar de na última imagem o fone incomodar um pouco mais o canal. Então é um uso freestyle: encontre o seu ideal. Andei um pouco, balancei a cabeça e os Buds Live não caíram. Até deitei no travesseiro, de lado, e também não saiu do lugar.

Como os Buds+, os Buds Live têm uma área sensível ao toque para comando dos fones:

  • um toque para pausar/retomar reprodução da música
  • toque duplo para avançar a faixa/atender ligações
  • toque triplo para voltar uma faixa
  • manter pressionado: ativar comando customizado (liga/desliga cancelamento de ruído por padrão, mas permite ainda ativar comando de voz – Bixby ou Google Assistente, controlar volume ou ativar o Spotify). Isso tudo controlado via app Galaxy Wearables no Android.

O lugar do toque nos fones é algo que precisa acostumar também, porque é um ponto específico na parte exterior.

Qualidade do som e bateria

É de se esperar que um fone de R$ 1.299 tenha uma boa qualidade de som – e tem. O som dos Galaxy Buds Live é bastante nítido, com graves perceptíveis (até mais que nos Buds+) e médios bem claros. A qualidade do microfone é boa também para ligações (sigo sem conseguir usar nenhum fone Bluetooth em ligações de vídeo no WhatsApp, mas isso é outra história).

Mas o que importa aqui é o cancelamento ativo de ruído. Esse recurso é ótimo em fones grandes que, em situações normais sem pandemia, para usar no avião, no metrô. Temos grandes exemplos como o Sony WH-1000MX4 e os Beats Solo Pro, que têm preços bem maiores. No mundo menor, dos fones TWS, o Sony WF-1000XM3 é o melhor caso dessa categoria com som bom e um cancelamento de ruído. E os Airpods Pro, da Apple, que nunca usei.

Testei os fones em três situações de ruído incômodo dentro de casa. Com a secadora de roupas ligada (é um modelo antigo), o ruído é reduzido, mas não muito. Com o ventilador ligado, mas a um metro dele e sem vento no ouvido, a redução de ruído foi perceptível (talvez pelo “tipo aberto” do fone, como diz a fabricante), imagino que no metrô (ou até mesmo em um avião, apesar de não ideal o formato) funcione parecido.

A terceira situação foi com o mesmo ventilador no máximo e com o vento atingindo os Galaxy Buds. Também perceptível a redução, mas menor e menos ruidoso que o estranho cancelamento de ruído dos Huawei FreeBuds 3.

Esse cancelamento de ruído sem muito efeito faz sentido em um fone pequeno como os Galaxy Buds Live. É um gadget para uso urbano, que requer atenção do usuário para o ambiente ao redor. Saiu de cena o Modo Ambiente dos Galaxy Buds/Buds+, que amplificava o som ambiente e vozes no entorno, entrou o cancelamento de ruído meia-boca, que permite isolar mais ou menos os ruídos da rua, mas ainda permite conversação sem precisar tirar os fones.

A duração da bateria, segundo a Samsung, é de 6 horas de reprodução nos fones + 15h na caixa de recarga, totalizando 21h. Na prática, usei os Buds Live em um dia (com cancelamento de ruído ativo) por menos de cinco horas e terminei o período com 29% de bateria, o que chega ao prometido.

Comparando com os Buds+

O Galaxy Buds+ foi anunciado em fevereiro e é um modelo de fone TWS intra-auricular com borrachinhas adaptáveis. Os Buds Live têm uma definição de “tipo aberto” e um formato bem diferente – com uma borrachinha bem diferente.

Buds Live, Buds+

Eu gosto bastante do som dos Buds+, e o dos Buds Live é bem similar. A questão do encaixe no ouvido é mais simples nos Buds+, por uma questão óbvia. Mas tem gente que pode ser alérgica ao látex/borracha e aí os Buds Live fazem mais sentido (assim como os AirPods originais da Apple).

E constatação do óbvio, as caixinhas de carregamento são bem diferentes.

Tanto que o manual indica inserir e… girar (!). Entra e gira pra cima para encaixar direito.

coisas que ouvi para testar os fones

Billie Eilish – Tiny Desk (home) Concert | Mogwai – The Quay Sessions | James Blake – Assume Form | Tame Impala – Currents | Kraftwerk – 3-D Der Katalog (German Version) | The National – Trouble Will Find Me | Flying Lotus – You’re Dead

Resumo: Samsung Galaxy Buds Live

O que é isso? Fone de ouvido sem fios com Bluetooth e cancelamento ativo de ruído.
O que é legal? Qualidade do som, duração da bateria.
O que é imoral? Cancelamento de ruído não é lá dos melhores. O marketing da Samsung perdeu a chance de chamar o produto de Galaxy Beans.
O que mais?  Design é único entre fones de ouvido.
Avaliação: 8 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação
Preço sugerido pela fabricante (e sujeito a mudanças): R$ 1.299
Onde encontrar: Samsung

Escrito por
Henrique Martin
2 comentários