Review: Amazon Fire TV Stick 4K
Início » REVIEWS » Review: Amazon Fire TV Stick 4K

Review: Amazon Fire TV Stick 4K

RESUMO

Fire TV Stick 4K: gadget da Amazon atualiza sua TV de alta definição mais antiga para um mundo novo de apps – mas ainda não tem GloboPlay.

Fire TV Stick 4K: o que importa

Fire TV Stick é a versão nova do gadget que transforma sua TV antiga (ou não muito antiga, mas desatualizada em apps) em uma TV conectada – agora em resolução 4K.

  • Até então, a Amazon Brasil vendia apenas o Fire TV Stick Lite, uma versão básica (e com resolução HD). Junto ao Fire TV 4K, a empresa lança também este mês no país o Fire TV Stick (que tem as mesmas funcionalidades da versão 4K, com saída 1080p).
  • Concorrência? Tem as Mi Box 4K (vendidas no mercado cinza, sem importação oficial da Xiaomi), a Aquario STV-2000. A Roku não trouxe o modelo 4K ainda para cá (apenas o Roku Express).
  • Duas grandes novidades no produto:

    1) o controle remoto com botão Alexa integrado, agora capaz de comandar TVs e outros dispositivos (via HDMI-CEC) e que vem com atalhos para serviços de streaming (Prime Video, Netflix, Disney+ e Amazon Music). No geral, a navegação no sistema parece mais rápida também.

    2) uma interface de usuário atualizada, com um novo menu principal (uma linha de apps abaixo dos destaques grandes), o recurso Encontrar, que ajuda a achar filmes e séries em diversos serviços distintos e, finalmente, a possibilidade de criar perfis de usuários distintos – era uma das minhas reclamações no review do Fire TV Stick Lite.

Hardware

  • Sem muitas novidades aqui: na caixa estão o Fire TV Stick 4K, extensor de HDMI, o cabo micro-USB para energia e a fonte, controle remoto e pilhas AAA.

Instalação

  • Aqui, novidades em relação aos modelos anteriores: ao ligar o Fire TV Stick na TV (LG OLED CX) e na tomada, já recebi um aviso sobre calibração de cores.
  • A configuração da conta Amazon agora pode ser feita usando navegador do seu computador/notebook/smartphone, bem mais simples que antes. A única coisa que precisa digitar na tela é a senha do Wi-Fi.
  • E, ao entrar com a conta Amazon, o Fire TV Stick 4K localizou um backup do Fire TV Stick Lite e já se ofereceu para baixar os apps que eu já tinha no outro dispositivo.

O que tem de novo

  • A tela inicial mudou, com destaques de diversos provedores de streaming (uma das principais críticas que eu tinha nas versões anteriores).
  • O menu principal fica um pouco acima da metade da tela, com uma linha de apps que você tem instalado, mais a loja (que segue sem grandes novidades). A parte inferior da tela segue a mesma bagunça que era antes – e com bastante destaque para o Prime Video, vale destacar.
  • Não, não tem GloboPlay oficial ainda (diz a Amazon Brasil que “Estamos sempre buscando oferecer mais conteúdo para nossos clientes, mas no momento não temos nenhum novo aplicativo para anunciar”). Nem HBO Go (que vai ser substituída em breve pelo HBO Max e é uma ótima pergunta) ou Google Play Filmes (OK, esse tem alternativas). Segue o principal ponto negativo da plataforma da Amazon.
  • Dá para instalar na gambiarra, já que é um Android que aceita qualquer arquivo .APK? Sim. Eu vou fazer isso? Não. 
  • Pelo menos agora é possível criar perfis de usuário, evitando bagunçar o que uma pessoa quer ver com o que outra (ou uma criança) também quer. Amazon parece que ouviu as reclamações 😉
  • A nova opção Descobrir é um bom guia de filmes e séries. Mas não muda minha missão pessoal de navegar por todos os streamings possíveis, não escolher nada e voltar para a TV a cabo. Minto: quase todo o conteúdo da Apple TV+ é excelente, dá para ver sem medo – é um catálogo pequeno, mas muito bem feito (não me arrependo de nada que vi ali até hoje).
  • O controle remoto do Fire TV Stick 4K (e do Fire TV Stick) vêm com um botão dedicado para ativar a Alexa e mais opções de comandos de reprodução, incluindo os quatro botões dedicados para streaming (Prime Video, Netflix, Disney+ e Amazon Music).
  • O controle pode ser usado para comandar a TV e outros dispositivos. Configurei com o set-top box 4K da Claro e funcionou sem problemas (mas não dá para trocar de canal) – e tem opções para controlar diversos dispositivos, de Apple TV (!) a PlayStation. A configuração é simples.
  • O bom é que se você está vendo algo na Netflix e quer mudar para a TV a cabo (ou outro app, buscar um filme ou ligar a lâmpada da sala), basta pressionar o botão e falar “Mude para o cabo” e vai (o botão dispensa o uso da palavra-chave Alexa).
  • É um jeito, digamos, menos invasivo de ter Alexa em dispositivo de casa, já que o controle do Fire TV Stick não tem escuta ativa pelo microfone (como a linha Echo).
  • Mas eu tenho um Echo Studio na sala de TV e pude comandar algumas coisas do Fire TV Stick por ele.

Alerta importante de configuração

  • O Fire TV Stick 4K veio com resolução 1080p 60Hz como padrão. Vá ao menu Tela e Sons, dentro das Configurações, para alterar essa opção e conseguir ver conteúdo em 4K.

Ah sim, os descansos de tela da Amazon seguem lindos:

E o 4K?

  • Vendo filmes e séries usando o dispositivo não tive problemas, como não tive também nas versões anteriores do Fire TV Stick. Qualidade de imagem é boa e a versão Fire TV Stick 4K tem suporte a vídeos em HDR.
  • Mas ao ver vídeos do Prime Video em 4K, topei com o seguinte alerta ao perceber que o streaming estava em HD, não UHD/4K. Minha conexão doméstica é de 240 Mbps, o que não deveria dar esse tipo de alerta.
  • Ao alternar para outras séries do Prime Video, percebi que é uma questão de balanceamento de rede mesmo – começam em HD e depois ajustam para UHD. No Apple TV+, tudo em 4K nativo nas séries da casa (este é um site fã de Ted Lasso). Não tenho assinatura de plano 4K da Netflix (o upscale da TV compensa).

Eu compraria um?

Do Fire TV Stick Lite (leia o review) para o Fire TV Stick 4K muita coisa mudou – e não foi só a resolução de saída de vídeo. O produto melhorou muito no geral, com uma interface mais limpa e fácil de usar, o controle remoto que também serve para outros dispositivos e a cada vez maior onipresença da Alexa como principal assistente digital no Brasil – ao menos para a casa conectada (Google tem forte presença do Assistente no smartphone Android, mas faz pouco barulho com seu hardware próprio ou de parceiros).

Então, a resposta é sim – e em algum momento no futuro minha Smart TV vai ficar obsoleta, e o Fire TV Stick 4K serve como uma excelente alternativa – pensando em que TVs 4K vendidas em 2016 e 2017 já devem estar sem novos apps ou atualizações dos fabricantes.

O preço sugerido do Fire TV Stick 4K é de R$ 449.

E o Fire TV Stick?

caixas, caixas
  • A Amazon me mandou o Fire TV Stick “normal” também. Além da caixa maior (sendo que o conteúdo é quase igual e o “stick” do modelo 4K é maior em alguns centímetros), existem poucas diferenças entre os dois modelos.
  • A principal, claro, é a resolução 4K e uso de Dolby Vision no modelo mais caro.
  • E o preço sugerido, que é menor aqui: R$ 379 para o modelo de resolução HD.
  • Com o lançamento do Fire TV Stick, fica meio sem sentido indicar o Fire TV Stick Lite, que é apenas R$ 30 mais barato (sai por R$ 349 na data de publicação deste review).
  • De resto, a interface e recursos são os mesmos – do controle remoto à falta de GloboPlay (tanto que algumas telas de sistema lá em cima são do Fire TV Stick).
Família Fire TV Stick
Aproveitei para tirar uma foto de família: de cima para baixo, Fire TV Stick 4K, Fire TV Stick e Fire TV Stick Lite (note que o tamanho é o mesmo).

Para assinar INTERFACES clique aqui e receba o melhor da tecnologia por e-mail toda sexta-feira de manhã, com a nossa curadoria.

Este post contém links de associados para a Amazon Brasil. Caso você compre algo, Interfaces pode receber uma comisão.

Escrito por
Henrique Martin
1 comentário