Filtro da CES 2020 (parte 2)

Filtro da CES 2020 (parte 2)

Em que a Delta fez uma apresentação cativante sobre tecnologia, a Samsung fez outra futurista até demais e todo o resto da indústria de eletrônicos anunciou mais um monte de coisas.

Acompanhar a maior feira de tecnologia do mundo não é fácil, mas o ZTOP te dá uma ajuda (com uma colaboração da newsletter Interfaces).

O Filtro da CES 2020 parte 1 foi otimista, confesso. Foi uma sequência de produtos que vem sendo anunciados desde o fim do ano passado (caso da LG) e desde o último final de semana (Dell, Samsung) e ontem, o chamado “media day” fechado para imprensa com coletivas de um monte de marcas (Intel, Panasonic, LG, Royole, TCL e um monte de outras).

E da lista de produtos-produtos-produtos do primeiro resumo, agora entramos em terreno mais futurista dos keynotes das marcas e desse dia das coletivas.

Samsung

Final da tarde de ontem (6) em Las Vegas, final da noite aqui em São Paulo, a Samsung fez o clássico keynote de abertura da CES. É o momento de partida da feira e que ficou famoso porque foi um espaço da Microsoft por anos, até o dia que deixou de ser. De uns anos para cá, a Samsung deixa bem claro que a CES é hora de mostrar suas ideias para o futuro – que não necessariamente serão verdade daqui 5 ou 10 anos.

Antes do keynote, um vídeo conceitual. Posso estar doido, mas por volta dos 4:40 aparece o futuro dobrável da marca – estilo clamshell, que cabe no bolso.

Será que esse é o novo smartphone dobrável da Samsung? Saberemos dia 11 de fevereiro

Ano passado (mais de uma vez) e no anterior o foco da Samsung foi mais em inovação e futurismo do que em produtos.

O que importou neste ano? Ballie. O robô-bolinha. Que, como os robôs do ano passado, não tem previsão de preço, lançamento, mas todo mundo saiu falando. É fofo. É robótico. Mas posso estar velho demais e achar que se a Samsung acerta em coisas de IA e Internet das Coisas (como o SmartThings), eu lembro que a Bixby não fala português até hoje.

Então, sou bem cético em relação ao robô-bolinha que com certeza, se vier a ver a luz do mundo, será mastigado por cães ao redor do mundo. Mas que é fofo é. A Samsung ainda falou dos seus exoesqueletos (também mostrados ano passado, mas agora com usos reais do produto em hospitais e clínicas), de saúde, de megacidades, de 5G. Tem um resumo em seis minutos da apresentação.

NEON

Projeto da STAR (uma startup investida pela Samsung) é de avatares digitais, mas não dizem como, quando e onde serão usados – só que são seus amigos, não a Siri.

Entendeu algo? Nem eu.

Delta

O que uma companhia aérea tem a ver com tecnologia? Tudo, só que a gente de tecnologia (mea culpa) tende a não ver/prestar atenção. Ed Bastian, CEO da Delta, falou sobre as coisas mais importantes que estão acontecendo ou que vão acontecer com a Delta em um futuro próximo, de forma simples e didática no seu keynote na manhã de hoje (7).

Destaques:

  • o app da Delta para smartphones vai se tornar cada vez mais um concierge virtual de viagens. A ideia é reduzir o stress do passageiro e melhorar a experiência em geral – vai de (no futuro) ter realidade aumentada para ver o assento no avião (desnecessário para a classe econômica, sendo sincero) a uma fila virtual no app que te avisa quando seu assento tem que embarcar (e não o seu grupo de passageiros).
  • Realidade Paralela: a partir do meio do ano, a Delta vai começar a usar em Detroit um novo tipo de sinalização aos passageiros usando tecnologia chamada Realidade Paralela, desenvolvida pela Misapplied Sciences. Em resumo, é um painel que mostra informações individuais (com opt-in) para múltiplos passageiros ao mesmo tempo. Eu posso ver uma coisa e outro passageiro outra, na mesma tela, na mesma hora, em idiomas distintos. É o tipo de coisa que precisa ver ao vivo pra entender se funciona ou não – eles dizem que sim.
  • Exoesqueletos robóticos: em parceria com a Sarcos Robotics, a Delta testa o uso dessas máquinas em áreas de carga e descarga com o modelo Guardian XO, capaz de levantar até 90kg sem esforço do operador. Testes começam neste trimestre.
  • Conectividade: com fabricantes investindo cada vez mais em fones Bluetooth, ainda é preciso ter um cabo 3,5 mm na mochila para assistir ao entretenimento de bordo de um avião. Bastian disse que “estamos estudando como resolver isso”.
  • Ainda em conexões, a Delta acredita (como mostra a imagem lá em cima) que Wi-Fi no ar tem que ser de graça e será algum dia (não é por completo – hoje na Delta só mensagens são gratuitas, navegação é paga).
  • Futuro: durante a apresentação, a Delta mostrou vídeos conceituais de todo o processo – de sair de casa, fazer check-in, chegar ao aeroporto e passar pela segurança com tranquilidade (nunca é), ganhar upgrade (raro…), voar, se conectar no ar. Inspirador.

Coberturas especializadas: View From The Wing | PaxEx Aero | The Points Guy | Skift

TCL

Sony

OnePlus

  • Smartphone conceitual One Plus Concept One, com um vidro na traseira que esconde ou mostra as câmeras. MKBHD mostra na prática.

HP, Intel, AMD

Canon, Nikon

  • As gigantes das câmeras acreditam ainda no potencial das câmeras DSLR e anunciaram novos modelos superpoderosos.
Escrito por
Henrique Martin
2 comentários