Estudo de caso: ZTOP na AWS

Estudo de caso: ZTOP na AWS

Desde agosto passado o ZTOP passou a ficar hospedado na nuvem da Amazon Web Services. Veja o que fizemos e o que mudou.

Antes de tudo, alguns avisos:

  1. a migração foi feita pelo incrível Fred Marvila, do Estúdio Sunday. Já fica a indicação: se você precisa de ajuda com WordPress, serviços de internet e nuvem, fale com ele 🙂
  2. a AWS soube que queríamos migrar de servidor e se pôs à disposição para ajudar, mas não foi necessário 🙂

O problema

Tirando o período que estivemos na infraestrutura da F451, entre 2011-2013, o ZTOP (desde os tempos de Zumo apenas :)) usou os serviços da MediaTemple (em um plano de servidor privado virtual, ou VPS).

Por que a Mediatemple era legal? Era fácil de manter, o suporte funcionava quando preciso (certa vez, por conta de um projeto já cancelado, todo o servidor foi apagado por erro humano), com o tempo eu aprendi a fuçar nos recursos e fazer melhorias e mudanças.

Mas com o dólar subindo em 2019, estava caro de manter (US$ 100/mês). E ocasionalmente as atualizações automáticas do WordPress quebravam o site, precisando resolver problemas no velho e bom FTP como se fosse 2008. Hora de mudar.

De qualquer modo, ainda tenho uma conta na Mediatemple por um domínio .com que comprei por lá e não usei ainda.

A solução

Desde que fui ao primeiro AWS Re:Invent em 2016, pensei em mudar para a nuvem. Mas precisava de ajuda. Até pensei em usar o serviço LightSail, que na teoria seria muito parecido com o VPS da Mediatemple (os planos lá começam em… US$ 3,50!).

Falando com o Fred, pelo tamanho do banco de dados do ZTOP (ei, quase 13 anos no ar já, mais de 5.200 posts – e 2.700 meus), o LightSail rodando WordPress não era o ideal. A solução sugerida e adotada foi:

  • Máquina: EC2 T3.large (2 vcpu, 8gb RAM)
  • Software: Nginx + PHP-FPM + MariaDB
  • Backup: snapshots automáticos, guardando por 90 dias.

Tudo isso com alguns ajustes do Fred para deixar o WordPress rodando liso.

Durante o Re:Invent 2019, deu para ver como é um rack de servidores da nuvem da AWS de perto

Os resultados

Antes da migração para AWS, os números de desempenho do servidor eram esses, em resultados na velocidade de acesso do site para desktop e mobile:

Depois da migração, ficou assim. Ainda tenho alguns ajustes a fazer, ao longo do tempo.

Outro resultado positivo: redução de custo. Hoje o valor fica em média em US$ 40/mês (alguns são um pouco a mais, outros a menos por conta do tráfego do site).

Confesso que demorei a escrever este texto por dois motivos. O primeiro era que o site tinha alguns updates do WordPress pendentes e estava morrendo de medo de apertar um botão e tirar o site do ar como no passado. Foi tão rápido que nem percebi – sério. Sem derrubar site, sem precisar acessar FTP, direto ao ponto.

O segundo, mais claro, é que estava esperando confirmar a estabilidade do serviço nos primeiros seis meses antes de recomendar para os outros.

Em resumo: ZTOP na AWS

  • Site mais rápido, com atualizações muito velozes de sistema
  • Hospedagem mais barata (e vai ficar mais ainda quando eu ativar o plano de economia com contrato de longo prazo)
  • Maior segurança (o Fred reforçou as barreiras tão forte que outro dia fiquei trancado para fora do sistema num smartphone :P).
  • Todos os chavões de migração para nuvem pública citados em uma lista
  • Bônus: estou começando a fuçar na AWS de forma técnica e aprendendo uns truques. Quem sabe não crio uma startup? (mais uma, né)

PS: a foto que abre o post é da apresentação do Werner Vogels, CTO da Amazon, no último Re:Invent. Vogels também é YouTuber 😉

[AWS]
Escrito por
Henrique Martin
6 comentários
  • Essas imagens do comparativo de resultados estão muito pequenas. Que site é esse?

  • “Maior segurança (o Fred reforçou as barreiras tão forte que outro dia fiquei trancado para fora do sistema num smartphone :P)”

    Use Yubikey 😛

  • Salve Henrique. Vocês estão hospedando no br ou fora? Fora geralmente o custo acaba sendo muito menor, mas implica em latência. =S