Echo Studio: 10 dias com o alto-falante inteligente da Amazon

Echo Studio: 10 dias com o alto-falante inteligente da Amazon

A Amazon lança hoje no Brasil o Echo Studio, o modelo mais avançado e mais caro da sua linha de alto-falantes inteligentes. Estou com um ligado na minha sala de estar nos últimos dez dias e estou muito satisfeito com a qualidade de áudio.

Echo Studio: o que importa

  • Qualidade do som excelente com Dolby Atmos
  • Permite controlar casa inteligente (que não é lá muito inteligente ainda)
  • Alexa segue engraçadinha, mas ainda trava em algumas questões
  • É o maior dispositivo da Amazon com Alexa
  • E também é o mais caro: seu preço sugerido é de R$ 1.699 (mas em promoção até 02 de julho por R$ 1.499).

Nas especificações técnicas, o Amazon Echo Studio é uma grande caixa de som que faz tudo que os dispositivos com Alexa fazem. Tem três alto-falantes direcionais, sete microfones, um woofer de 5,25″, potência máxima de 330W, DAC de 24-bit e compatibilidade com Dolby Atmos.

Seu design em cinza chumbo é bastante discreto e elegante, com detalhes em plástico em preto fosco. Por conta da abertura embaixo, ele parece uma carinha sorrindo. Ou uma cabeça gigante de Lego sem olhos.

Tão grande que o Amazon Echo Dot com Relógio cabe em cima dele e sobra espaço.

Na parte de cima, o anel iluminado de status e os clássicos botões padrão dos Echo: mudo, controle de volume e o “botão de ação”, caso você não queira falar “Alexa” e esteja de passagem perto do dispositivo.

Embaixo, um vão enorme para juntar pó melhorar o efeito dos graves e, atrás do aparelho, a porta microUSB de serviço, o conector do cabo de energia (o Echo Studio não tem uma fonte externa-que-ocupa-bastante-espaço como os Echo Dot/Echo Show) e um conector híbrido 3,5mm/mini-óptico. O alto-falante se conecta por Bluetooth ao seu smartphone também.

Alexa, como liga?

Configurar o Echo Studio é algo simples, como todo dispositivo da linha da Amazon. A única recomendação diferente é deixar o equipamento a uns 15 cm da parede. Basta ligar o dispositivo à tomada, abrir o app Alexa no smartphone e fazer a configuração automática, incluindo o ajuste de som para o ambiente (algo que não consegui reproduzir depois mudando o Echo Studio de lugar, nem no app nem tentando falar com a Alexa, que não me entendeu mais de uma vez).

Já que a Alexa é o assistente de voz integrado à minha nova TV Samsung Crystal TU8000, aproveitei e instalei uma lâmpada inteligente da Positivo no abajur da sala de TV. Pelo Echo Studio, consigo desligar a TV (mas não ligar, porque o televisor está offline quando desligado) e ativar a Netflix ou o Prime video e acionar a lâmpada/trocar cor/ajustar brilho.

Conectei meu smartphone via Bluetooth para ouvir podcasts e a integração da Alexa é muito simpática: “Alexa, conecte meu telefone” (som feliz) “Conectado a Samsung Galaxy S10 de Henrique” (som feliz). Curiosamente, a TV Samsung enxerga o Echo Studio como um dispositivo externo Bluetooth, mas não completa o pareamento – nada que fosse mudar minha vida, afinal.

O Echo Studio tem um hub Zigbee para controle de casa inteligente integrado, mas pelos gadgets que tenho, não é muito útil no momento – e seria interessante ver parcerias da Amazon com fabricantes como a Philips (enquanto escrevo este texto, a Amazon EUA tem uma promo do Echo Studio com uma lâmpada HUE de brinde).

Alexa, e o som?

Os apps de música têm integrações que nem sempre dão certo com o Echo Studio. Se eu falo “Alexa, toque Madonna”, o alto-falante irá reproduzir músicas da Madonna aleatoriamente vindas do Amazon Music Unlimited (que assinei no teste de três meses grátis no final de semana). OK, serviço da Amazon falando com serviço da Amazon.

amazon echo studio

Mas se eu falo “Alexa, toque Madonna no Spotify”, o Echo Studio também vai tocar músicas aleatórias da Madonna. Se eu abrir o app do Spotify e tentar controlar a reprodução de músicas (o player enxerga os outros dispositivos na rede como alto-falantes, como o Echo Studio ou o Google Nest Mini, movido a Google Assistente), o Spotify vai travar (isso acontece com o Google também, então não é um problema dos assistentes, mas do Spotify). Vale notar que podcasts no Spotify só são atendidos se você tiver uma conta premium do serviço de streaming.

Agora se eu quiser ouvir música no Tidal no Echo Studio, preciso conectar via Bluetooth. O app não vê o Echo Studio como alto-falante externo – mas vê o Nest Mini.

A Alexa ainda comanda o volume, mas se confunde às vezes ao pedir para desconectar o Bluetooth ou redefinir o equalizador (algo que não consegui fazer). E o app de Android tem bugs, como não mostrar (mesmo com configurações corretas) temperaturas da previsão do tempo em Celsius, apenas em Farenheit. E não consegui redefinir o ajuste de som espacial para um novo local, nem no app nem falando com a Alexa.

Eu vejo os Echo Dot, Nest Mini ou mesmo o Echo Show mais como facilitadores de acesso aos assistentes de voz, que servem para auxiliar, criar rotinas, dar o primeiro passo na interação homem-IA por fala. O Echo Studio é outra categoria de produto: a Alexa está ali e segue útil (na medida do possível), mas o principal é ouvir música nesse aparelho.

E o Echo Studio é um baita dispositivo para isso. Ouvindo via streaming, o som é nítido, claro e envolvente. Os graves são perceptíveis, mas não exagerados, os médios são excelentes (ouça podcasts nele e se divirta, parece que o locutor está ali na sala com você).

Alguns recursos do Echo Studio, porém, ainda são limitados para o brasileiro. O sistema é compatível com som 3D, algo que só vi disponível no Tidal na assinatura mais cara (que não era a minha). Cheguei a brincar com som 3D meses atrás (quando paguei R$ 4 por quatro meses de Tidal premium) com os fones da Sony WH-1000XM3. É legal? Sim. Quero ouvir todas minhas músicas com som super-envolvente? Não necessariamente.

Também não encontrei nada de som 3D no Music Unlimited (pelo que entendi, é restrito também a um plano HD), e vendo as especificações do produto, descobri que o recurso não funciona via Bluetooth. Outro recurso legal do Echo Studio depende de outros dispositivos da Amazon, como o Fire TV Stick 4K (que não está à venda por aqui) para sincronizar áudio da TV com o Echo Studio. Parece legal, mas não está disponível.

Moral da história: o Echo Studio é um belo salto na linha de produtos Echo da Amazon no Brasil, que está anos-luz à frente do Google na questão de equipamentos próprios, de terceiros e do ecossistema conectado (mas o Google Assistente está em 100% dos Androids vendidos no país, o que é uma comparação injusta).

Tem grande qualidade de som e é esse “brinquedão” que responde a um monte de comandos de voz. Eu, pessoalmente, me sinto estranho – por uma questão de geração mesmo – a falar com gadgets. O Echo Studio está ajudando a resolver um pouco esse problema pós-moderno.

Resumo: Amazon Echo Studio

O que é isso? Alto-falante conectado com Dolby Atmos.
O que é legal?  Qualidade de som excelente, com controle de voz para pedir músicas, controlar a casa inteligente e pedir a previsão do tempo.
O que é imoral?  Sinto falta de um Echo portátil com bateria, para eu carregar pela casa (mas não um Studio, que é muito pesado).
O que mais? Parece funcionar muito bem em conjunto com outros dispositivos Amazon que não estão disponíveis no Brasil.
Avaliação: 8 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 1.699 (valor promocional de lançamento até 02/7: R$ 1.499)
Onde encontrar: Amazon Brasil

Escrito por
Henrique Martin
8 comentários
  • Ztop! Eu entrava há 10 anos, que ótimo reencontrar! Já seguindo novamente

  • Uma correção: “E o Echo Show é um baita dispositivo para isso.” Não seria Echo Studio?

    Uma dúvida: Na parte do Fire TV. É possível conectar o Echo Studio com Fire TV stick e ouvir o som através dele?

    • typos corrigidos, obrigado!

      sobre o Fire TV: no site americano do Studio citam o Fire TV Cube (1st Gen or 2nd Gen), Fire TV Stick 4K ou Fire TV (3rd Gen) como compatíveis com o alto-falante.

  • Tem cara de bom. O preço é doído — 1699 reais! A promoção deixa-o apenas menos caro, não fica tão em conta!

    • confesso que achei que seria mais caro quando vi o produto pela primeira vez 🙂

      • Ok. Não é fácil ter kit sonoro completo para instalar casa inteligente! E os assistentes bem que poderiam possuir modo anônimo!!